header top bar

section content

Ex-prefeito e ex-secretário de Finanças são presos por desvio de recursos em estado do Nordeste

Eles foram denunciados em processo que investiga 'farra de diárias', esquema que envolve concessão de diárias para viagens que nunca ocorreram.

Por G1

21/06/2018 às 08h25

Ex-prefeito de Viçosa, AL, Flaubert Torres Filho, foi preso em Atalaia (Foto: Divulgação)

O ex-prefeito de Viçosa, Flaubert Torres Filho, e o ex-secretário de Finanças do município, Maxwel Carnaúba Passos, foram presos nesta quarta-feira (20) após o cumprimento de mandados de prisão expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

Os dois foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MP) como responsáveis em comandar um esquema de desvio de recursos públicos através de concessão de diárias.

A reportagem do G1 tentou contato através do telefone do ex-prefeito, mas as ligações não foram atendidas.

De acordo com as investigações, o esquema que ficou conhecido como ‘farra das diárias’ envolvia a concessão de diárias para viagens que nunca ocorreram, resultando em desvio de recursos dos cofres públicos.

O ex-prefeito Flaubert Torres Filho foi preso na cidade de Atalaia e os ex-secretário de finanças na cidade de Viçosa.

As prisões foram realizadas em uma ação conjunta do Grupo de Ação Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), da Promotoria de Justiça, que contaram com o apoio de agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar.

Fonte: G1 - https://g1.globo.com/al/alagoas/noticia/ex-prefeito-e-ex-secretario-de-financas-de-vicosa-al-sao-presos-por-desvio-de-recursos.ghtml

Recomendado para você pelo google

EM SOUSA

Radialista revela que “vítima da mão pesada e dos chutes do prefeito Tyrone” disputará eleições em 2020

VÍDEO

Comandante do Corpo de Bombeiros aponta possíveis causas do incêndio no lixão de Cajazeiras

SAÚDE

VÍDEO: Programa Xeque Mate fala sobre a saúde de Cajazeiras e recebe popular e diretoras do HUJB e HRC

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio