header top bar

section content

Criança de 6 anos é atingida por tiro enquanto vizinho limpava arma, na Paraíba

Menino foi encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, que informou que o estado de saúde dele é estável.

Por G1

13/08/2018 às 14h16

Menino deu entrada no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande após ser atingido por um disparo de arma de fogo, em Alagoa Grande, na Paraíba (Foto: João da Paz/Ascom Trauma de Campina Grande)

Uma criança de 6 anos deu entrada no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande após ser atingida por um disparo de arma de fogo no rosto na manhã desta segunda-feira (13), em Alagoa Grande, no Agreste da Paraíba.

De acordo com a Polícia Militar, o caso aconteceu por volta 8h, quando o menino estava na casa de um vizinho, no Centro da cidade. Enquanto o homem limpava uma espingarda, a arma disparou e atingiu o rosto da criança.

Ainda segundo a PM, a polícia foi acionada por um funcionário do hospital da cidade para onde o menino foi levado pelo vizinho. A criança precisou ser encaminhada para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. A unidade de saúde informou que o estado de saúde dele é estável.

As informações da PM são de que a arma foi apreendida e que o homem foi conduzido até à Delegacia de Polícia Civil de Alagoa Grande para prestar depoimento. Até a manhã desta segunda, ele permanecia detido no local.

Fonte: G1 - https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2018/08/13/crianca-de-6-anos-e-atingida-por-disparo-enquanto-vizinho-limpava-arma-na-pb.ghtml

Recomendado para você pelo google

CONSÓRCIO NORDESTE

VÍDEO: João Azevêdo destaca potencial tecnológico de Campina Grande em encontro com empresários alemães

NA VILA NOVA

VÍDEO: Advogado acusa PM de abuso de autoridade durante blitz em Cajazeiras: “Atitude transloucada”

EVENTOS ATÉ DIA 06/12

VÍDEO: Prefeito de Monte Horebe anuncia pagamento de servidores e programação do aniversário da cidade

ESTELIONATO

VÍDEO: Após dois golpes em banco de Cajazeiras, advogado mostra como vítimas devem buscar seus direitos