header top bar

section content

Bolsonaro terá generais no ministério

Bolsonaro confirmou três ministros.

Por Extra Globo

29/10/2018 às 13h51 • atualizado em 29/10/2018 às 13h56

General Heleno Foto: Guito Moreto

Ministros
Bolsonaro confirmou três ministros: o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-DF), na Casa Civil; o economista Paulo Guedes, na Fazenda; e o general da reserva do Exército Augusto Heleno, no Ministério da Defesa.

Gustavo Bebianno
Presidente do PSL, o advogado carioca é cotado para o Ministério da Justiça. Mas pode ir para a Secretaria-Geral da Presidência.

Oswaldo ferreira
General da reserva, é apontado como provável titular de uma pasta na área de Infraestrutura.

Magno Malta
Um dos poucos com acesso livre à casa de Bolsonaro, tem a confiança do presidente eleito e terá espaço no governo.

Marcos Pontes
O tenente-coronel da reserva Marcos Pontes é o provável ministro de Ciência e Tecnologia.

Nelson Teich
Consultor na área de Saúde. Além dele, Henrique Prata é outro nome cogitado para ministro da Saúde.

Stravos Xanthopoylos
Ex-diretor da área de cursos on-line da FGV, o professor é cotado para a Educação. Outro cotado é o general Aléssio Ribeiro Souto.

Luiz Antonio Nabhan Garcia

Presidente da União Democrática Ruralista, disputa com indicações da Frente Parlamentar da Agropecuária o Ministério da Agricultura.

Paulo Marinho

O empresário poderá atuar como conselheiro na área de comunicação.

Fonte: Extra Globo - https://extra.globo.com/noticias/brasil/bolsonaro-tera-generais-no-ministerio-23194748.html

Recomendado para você pelo google

EM CAJAZEIRAS

VÍDEO: Ciro diz que Ricardo ‘prejudicou-se na sucessão’, mas elogia Azevêdo: “Seria uma honra no PDT”

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras diz que “pobreza se avoluma cada vez mais nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’