header top bar

section content

Bolsonaro faz 1ª reunião com equipe para discutir indicações de ministros

Durante a campanha, Bolsonaro disse que seu governo teria no máximo 15 ministérios.

Por G1

30/10/2018 às 13h34

Presidente eleito, Jair Bolsonaro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), saiu de casa na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, para participar de uma reunião em que devem ser discutidos nomes para integrar o ministério de seu governo.

A reunião é na casa do empresário Paulo Marinho, aliado de Bolsonaro desde o início da campanha. Além do presidente eleito, participam do encontro o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), provável ministro da Casa Civil do novo governo, e Paulo Guedes, já anunciado por Bolsonaro como ministro da área econômica.

Na entrada da casa, Gustavo Bebianno, dirigente do PSL, falou com a imprensa. Uma jornalista perguntou sobre os nomes definidos para os ministérios.

Bebianno respondeu: “Em torno de 15, mais ou menos. Já temos alguns nomes. Mas isso o presidente vai anunciar”.

Outra repórter pede a confirmação: “São 15 nomes ou 15 ministérios?” O dirigente responde: “São mais ou menos 15 ministérios. Os nomes que a gente já tem é mais ou menos metade disso daí.”

Durante a campanha, Bolsonaro disse que seu governo teria no máximo 15 ministérios.

Quem é quem no núcleo duro de Bolsonaro — Foto: Arte/G1

Convite a Moro
Nesta segunda (29), o presidente eleito disse ao Jornal Nacional que convidará o juiz federal Sérgio Moro para ser o futuro ministro da Justiça ou então o indicará para uma vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal. Moro é o juiz federal responsável pelas ações da Lava Jato na 1ª instância, no Paraná.

Questionado sobre o assunto, Bebianno disse que não sabe se o presidente eleito já falou com Moro. Segundo o dirigente do PSL, o “nome dele é muito importante para o Brasil” e “estão na expectativa que ele aceite se engajar de alguma forma”.

Sobre a reunião de hoje, Bebianno disse que estão “estudando alguns nomes para o ministério, a composição da equipe que vai trabalhar dentro do Palácio”, afirmou. “A prioridade é a conclusão da montagem da equipe”, concluiu Bebianno.

Provável ministro da Casa Civil
Na porta da casa, Onyx também falou rapidamente com a imprensa. Disse que iria discutir com Bolsonaro o início da transição de governo.

“Nós vamos começar a transição, ou seja, ele vai nos dar as principais orientações. E nós vamos começar a trabalhar. Vou para Brasília amanhã. Já tenho aqui uma série de informações para ele, e ele então hoje vai nos orientar de como é que inicia o contato com o atual governo. Nós já vamos levar amanhã alguns nomes para que sejam constituídos, porque há um prazo para que seja publicado, para que segunda-feira, aí sim, a todo vapor, a gente comece a a transição de fato”, afirmou.

Questionado sobre nomes de futuros ministros, Onyx disse que só sairão em dezembro.

Quem é o núcleo do presidente eleito
Além de Onyx Lorenzoni, do economista Paulo Guedes e do advogado Gustavo Bebianno, o núcleo mais próximo do presidente eleito durante a campanha reuniu três dos seus cinco filhos, parlamentares, e generais da reserva do Exército.

Carlos Bolsonaro, 35 anos, é vereador no Rio de Janeiro e um dos responsáveis por pensar a comunicação do pai, com forte presença nas redes sociais. Flávio Bolsonaro, 37 anos, é deputado estadual e se elegeu senador pelo Rio.

Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/eleicoes/2018/noticia/2018/10/30/bolsonaro-se-reune-com-guedes-e-onyx-para-definir-nomes-do-governo.ghtml

PLANOS E METAS

VÍDEO: Cantor explica como pretende administrar o Atlético e declara que o problema do clube é político

CAMPEONATO PARAIBANO 2019

VÍDEO: Após vistoria técnica, representantes da CBF elogiam o estádio Perpetão: “É um dos melhores”

A ARTE DO CORPO

VÍDEO: Bailarino que dá aula de dança em Cajazeiras fala da sua trajetória e de projetos para a cidade

MÚSICA AO VIVO

VÍDEO: Sucesso no Nordeste, cantor interpreta grandes bandas nacionais e internacionais no Xeque-Mate