header top bar

section content

Sousa ganha deputado e oposição de Cajazeiras poderá ter reforço de mais um partido a mando de Cássio

O deputado Pedro Cunha Lima se licenciou do mandato, para concluir o Mestrado em Direito Constitucional pela Universidade de Coimbra, em Portugal.

Por

01/12/2015 às 07h49

Marcondes Gadelha assume uma vaga na Câmara Federal

O suplente de deputado sousense, Marcondes Gadelha (PSC), assume nesta terça-feira (1), uma vaga na Câmara Federal. Ele ocupará o lugar do deputado Pedro Cunha Lima (PSDB), que pediu licença para cursar Mestrado fora do Brasil.

Veja também

?Com saída do filho de Cássio do cargo, Sousa ganhará Deputado Federal por dois anos

?Gadelhas culpam Antonio Gobira por derrota em Sousa e sapateiro agradece aceitação da população paraibana

Marcondes Gadelha também deverá qualificar os debates em temas importantes, como a transposição de águas do Rio São Francisco e a crise política e moral que o país está vivenciando, já que é um nome respeitado no Congresso Nacional.

O deputado Pedro Cunha Lima se licenciou do mandato, para concluir o Mestrado em Direito Constitucional pela Universidade de Coimbra, em Portugal. A licença será sem remuneração, e por um período de quatro meses, que será substituído por Marcondes Gadelha.

Segundo infrmações do Radialista Adjamilton Pereira, esse fato também poderá gerar desdobramentos políticos em Cajazeiras, com a possibilidade do PSC voltar ao comando da oposição, através de articulação do senador Cássio Cunha Lima, a pedido do Deputado José Aldemir Meireles.

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
OS CIRENEUS DO CAMINHO

VÍDEO: Programa Mensagem de Esperança reflete sobre imunização espiritual e como lidar com adversários

'MENSAGEM DE FÉ'

VÍDEO: Padre apresenta programa especial na TV sobre a tradicional Festa de Dom Bosco em Cajazeiras

'OPINIÃO DO CIDADÃO'

VÍDEO: Em Cajazeiras, presidente da OAB-PB diz ser contra posse de arma: “Índices de mortes aumentam”

PROPRIEDADES EMBARGADAS

VÍDEO: Impedidos de plantar, agricultores de Cajazeiras acusam IBAMA de excessos na aplicação de multas