header top bar

section content

Aécio chama Dilma de leviana e é acusado de nepotismo em debate na TV. Assista!

Candidatos do PT e do PSDB fizeram o rimeiro debate do 2º turno

Por

15/10/2014 às 07h01

O primeiro debate presidencial do segundo turno foi marcado por troca de acusações entre a presidente Dilma Rousseff e o tucano Aécio Neves, principalmente quando o tema corrupção foi abordado no final do segundo bloco do encontro promovido pela TV Bandeirantes, nesta terça-feira.

Em um dos momentos mais tensos, Aécio acusou sua adversária de “estar sendo leviana” ao dizer que o tucano entregou a um tio as chaves do aeroporto de Cláudio (MG), construído pelo governo de Minas Gerais. Em seguida, Aécio afirmou que o governo atual “virou um mar de lama”, em referência às denúncias de pagamento de propinas em obras realizadas pela Petrobras, investigação feita pela Polícia Federal na Operação Lava-Jato. Dilma reagiu e acusou o tucano de praticar o nepotismo, ao nomear parentes para cargos públicos, sem citar quais.

A temperatura começou a subir quando, no início desse bloco, Aécio disse que o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa, preso na Lava-Jato, recebeu elogios em em ata de reunião da empresa pelos “bons serviços prestados”, ao se demitir do cargo. O tucano perguntou a Dilma que “bons serviços” eram esses. Em resposta, Dilma disse que sua indignação em relação ao que foi descoberto pela PF “era a mesma de todos os brasileiros”. E passou a enumerar casos de corrupção durante os governos tucanos que, segundo ela, não levaram ninguém à prisão, como o mensalão em Minas e as denúncias de cartel nas licitações do serviço de transporte sob trilhos em São Paulo. Em seguida,citou o Aeroporto de Cláudio:

— Como o senhor explica ter construído um aeroporto que na época custava R$ 13,9 milhões e agora custa R$ 18 milhões. E foi construído em terreno de sua família, no terreno de seu tio e chave fica em poder dele? Eu não acho isso nada moral e nem ético .

Aécio reagiu irritado:

— Eu quero responder à candidata Dilma olhando nos seus olhos. A senhora está sendo leviana. O Ministério Público Federal atestou a regularidade dessa obra. Fiz milhares de obras no meu governo. Todas elas atestadas como obras corretas. A obra de Cláudio, que a senhora insiste em repetir e também de forma leviana no seu horário eleitoral, tanto que o TSE retirou do ar, foi uma obra feita em área desapropriada em desfavor de um tio avô meu para beneficiar uma região próspera, onde estão mais de 150 indústrias. O Ministério Público Federal disse que a obra é correta.

paternidade de programas em foco

Na sequência de acusações, Dilma disse que, ao contrário do que Aécio afirmara, o Ministério Público não aceitou a ação penal, mas está apurando se houve improbidade administrativa, frisando que isso significa “mau uso dos recursos públicos”. Na esteira de acusações, Dilma disse que o tucano empregara “um irmã, um tio, três primos e três primas” no governo.

— A senhora tem obrigação de dizer onde minha irmã trabalha. Não pode fazer campanha com tantas inverdades — reagiu Aécio, encerrando esse bloco.

No início do terceiro bloco, logo após essa discussão, Dilma não respondeu a Aécio, mas disse que leviano era ele.

A paternidade dos programas sociais também foi um tema recorrente. Dilma acusou o tucano de ter propostas que são somente continuidade de projetos implantadas por petistas durante os 12 anos em que estão no poder.

—As únicas propostas que a senhora apresenta são a continuidade dos meus projetos. Pode entrar no Tribunal de Contas do Estado que o governo de Minas Gerais foi obrigado a assinar um termo de ajustamento de gestão. No Samu, vocês têm o terceiro pior desempenho. Vocês só têm (a cobertura do Samu) em 28% dos municípios e 45% da população não tem Samu. Como posso acreditar que o senhor vai fazer o Mais especialidades?

Nesse ponto, Aécio afirmou que “ninguém é dono de bons projetos” e que programas bem-sucedidos do atual governo como Bolsa Família, são continuação de iniciativas da gestão de Fernando Henrique Cardoso, como Bolsa Escola e o Bolsa Alimentação.

Já no início do debate, Dilma e Aécio trocaram acusações sobre suas gestões à frente da Presidência da petista e do governo de Minas, respectivamente. A petista citou números sobre o governo mineiro, principalmente na área da Saúde, e o tucano respondeu dizendo que Dilma faltava com a verdade.

Ainda no primeiro bloco, Aécio disse que os dois candidatos pareciam de oposição, porque “quem vê a sua campanha acha que a senhora não governou”. Já Dilma respondeu, afirmando que parecia que o senador parecia candidato da situação porque insistia em falar na continuidade de seus projetos.

Logo na primeira pergunta, Dilma disse que os tucanos votaram contra a CPMF e acusou Aécio de não investir na Saúde o que determina a Constituição, quando estava à frente do governo mineiro. Aécio respondeu que todas as contas de sua gestão foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

Ao responder a Dilma sobre o Mais Especialidades, promessa da petista para a Saúde, Aécio disse que a ideia é copiada do PSDB e provocou a adversária ao dizer que Dilma parece uma candidata de oposição.

— A sua proposta do Mais Especialidades é a nossa. Lamento que a senhora só tenha se preocupado com isso quando seu governo termina. A impressão que tenho é que temos dois candidatos de oposição. Não temos um candidato de continuidade. Quem vê a sua campanha acha que a senhora não governou o Brasil ao longo de todos esses anos — atacou Aécio.

Dilma reagiu com um jogo de palavras:

— E quem vê agora as suas propostas pensa que o senhor é candidato da situação, porque as únicas propostas socais que apresenta é a continuidade dos meus projetos — disse Dilma.

Quando Dilma disse que Aécio, no governo de Minas, não repassava o mínimo determinado pela Constituição à Saúde, o tucano retrucou:

— O governo da senhora chegou num determinado momento em que os investimentos do Bolsa Família eram contados como investimentos em Saúde. Minas é reconhecido pelo Ministério da Saúde como o que tem a melhor Saúde da Região Sudeste.

O Globo

Tags:
YOUTUBER DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Léo Abreu revela em quais profissões podemos encontrar psicopatas

ESPERANÇA NA POLÍTICA!

VÍDEO: Pastor evangélico fala sobre Bolsonaro: “Ele incorporou o que a sociedade acredita: a família”

ASSISTA!

Arquitetura, urbanismo e direitos humanos marcaram último episódio da temporada do Coisas de Cajazeiras

VÍDEO

Comemorando o dia dos Direitos Humanos, professor fala sobre os avanços da data no Diversidade em Foco