header top bar

section content

Prefeitura do Sertão lança projeto sócio-ambiental para completar renda de famílias do município. Veja!

A finalidade do projeto é envolver o Poder Público Municipal e as famílias beneficiadas, tendo em vista o desenvolvimento com sustentabilidade.

Por

22/12/2011 às 16h44

A Prefeitura de Sousa através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente lançou o projeto sócio-ambiental “Quintais Verdes”, que objetiva realizar o cultivo de diversas culturas nos quintais das famílias da zona urbana e rural do município, além da prestação do auxilio técnico da Secretaria de Agricultura, que implementará na melhoria da renda das famílias e conseqüentemente contribuirá na segurança alimentar dos sousenses.

Outra finalidade do projeto “Quintais Verdes” é envolver o Poder Público Municipal e as famílias beneficiadas, tendo em vista o desenvolvimento com sustentabilidade.

O projeto “Quintais Verdes” atualmente contempla 21 famílias no Município, dando aspecto agroecológico na área utilizada, ajudando no incentivo do consumo de verduras, legumes e frutas, bem como na utilização dos resíduos na exploração da criação de aves e suínos.

O projeto teve início no mês de maio, com realizações de reuniões e visitas técnicas, observando o potencial de cada localidade, sob assistência técnica do Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Caetano de Lima, e o técnico Francisco Andrade.

Das diversas culturas apresentadas no projeto “Quintais Verdes” destacam-se: o caju, acerola, banana, cajarana, cajá, tomate, pimentão, alface, berinjela, cebola, coentro, mamão, graviola e maracujá.

DIÁRIO DO SERTÃO com Ascom
 

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”