header top bar

section content

Arbitragem o foco das discussões

10/09/2015 às 20h08

Por Reudesman Lopes

– Corta! Foi braço!

 Com o berro do quinto árbitro, instalado na sala de tv, ecoando em seus ouvidos, o primeiro árbitro apitou e paralisou a partida. O apito paralisou os jogadores, emudeceu o estádio. Na sequência, a gritaria foi ensurdecedora, tanto vinda das duas torcidas como dos jogadores amarelos, revoltados com a marcação e a perda do título.

Sim, se a bola entrasse o Amarelo seria campeão. Seria. Desgraçadamente, naqueles poucos segundos a edição de tv mandou novas imagens do lance. Uma delas, captada por uma câmera entre a bandeira de escanteio e a primeira trave, mostrava que a bola tinha tocado no ombro do atacante amarelo, pegando a direção, como um passe perfeito, de seu companheiro de time.

A jogada fora toda legítima. Os telões do estádio agora mostravam o lance e, entre eles, lá estava a fatídica imagem da câmera frontal. Bola no ombro. O primeiro árbitro estava catatônico. Por sua cabeça desfilava sua lembrança do lance – de sua posição, ele mais intuíra do que vira que a bola tinha mesmo batido no ombro e não no braço. Em seus ouvidos ainda reverberava o berro do quinto árbitro. Ele achava que o cara torcia pro Vermelho. Agora ele tinha certeza. Agindo como um autômato, cumpriu os protocolos há tanto tempo repetidos.

Distribuiu cartões amarelos, mandou pôr a bola no local da infração e logo depois da cobrança encerrou a partida. Estava cansado. O trecho acima retrata uma hipotética ação em futuro não muito distante, provável e desgraçadamente. Ao contrário do que anseiam os críticos das arbitragens, traquitanas eletrônicas não tirarão as dúvidas e não deixarão de interferir nos resultados. Já cansei de ver discussões sobre lances de jogo. Grande quantidade delas, mesmo com o auxílio de imagens de diferentes câmeras, termina sem que se chegue a uma conclusão.  Nem mesmo depois da mesma cena ser repetida inúmeras vezes, a ponto de irritar a todos,principalmente aos telespectadores.

O jogo que o árbitro vê somente ele vê. E ele apita, ou não apita, de acordo com o que vê, mas não somente. Ao lado ou próximo da jogada, ele ouve. E sente. Da combinação de tudo isso o que para ele não é falta pode ser para quem está distante. Nem sempre a imagem da televisão retrata a realidade como ela é. Penso que é importante melhorar sempre mais a arbitragem, mas descarto toda a absurda complexidade de equipamentos e equipes para “ajudar” o juiz a apitar. Minhas críticas a essas propostas de introdução de traquitanas eletrônicas não se dão por mero apego ao futebol como ele é, mas também à questão “custos” e à inevitável elitização de alguns jogos em detrimento de outros.

Animo renovado
A vitória do Botafogo PB frente ao lanterna Icasa pelo placar de 4 a 1 em Juazeiro do Norte deu uma nova motivação ao time da estrela vermelha da capital. A três pontos do quarto colocado que é o América de Natal, o Belo mira o jogo contra o Vila Nova em João Pessoa como uma autêntica decisão e para que se alcance o objetivo que é a soma dos pontos pela vitória a diretoria do Botinha espera que a torcida se faça presente ao Almeidão para empurrar o time a mais uma conquista.

Desanimo no Galo
A derrota por 3 a 1 para o Serrano atrapalhou os planos do Treze na Série D do Campeonato Brasileiro. Agora, o Galo precisa vencer o Estanciano na última rodada e ainda torcer por um tropeço do Central de Caruaru para se classificar para próxima fase da competição nacional. No entanto, para quem pensa que o time do bairro do São José já jogou a toalha, muito se engana. Atualmente com 12 pontos, o Treze se encontra na terceira posição do Grupo 4. O Estanciano, que soma 15, é o líder da chave e já está classificado. Na vice-liderança, vem o Central com 13 pontos e dentro da zona de classificação. Serrano e Goianésia, que estão matematicamente desclassificados, completam a tabela.

BOLA DENTRO
Para o trabalho realizado pelo professor Bruno Albuquerque na sua Escolinha Estrelas do Futuro com os seus alunos. Escola de Futebol NOTA 10!

BOLA FORA
Para aqueles que, como nós, não estávamos a acreditar numa competição mais organizada como vem sendo a segundona da Paraíba. Assim, vai uma NOTA 0!

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br