header top bar

section content

Francisco Cartaxo

Francisco Sales Cartaxo Rolim foi secretário de planejamento do governo de Ivan Bichara, secretário-adjunto da fazenda de Pernambuco – governo de Miguel Arraes. É escritor, filiado à UBE/PE e membro-fundador da Academia Cajazeirense de Artes e Letras – ACAL. Autor de, entre outros livros, Guerra ao fanatismo: a diocese de Cajazeiras no cerco ao padre Cícero.

Email: cartaxorolim@gmail.com

| 25/01/2022 08:29

Luz exuberante em Cajazeiras

Por Francisco Frassales Cartaxo Este mês vivi, durante oito dias em Cajazeiras, momentos de emoção e trabalho de natureza cultural. Do lançamento da biografia de dom Zacarias Rolim de Moura a atividades da Academia Cajazeirense de Artes e Letras. Visitei o casarão, que no passado abrigou o Hotel Oriente, hoje, sendo adaptado pelo prefeito José […]


| 11/01/2022 20:06

Amor, vida e morte

Por Francisco Frassales Cartaxo O escritor mexicano, nascido em Jalisco, Juan Rulfo (1917-1986), referindo-se à literatura, disse que não existem mais que três temas básico: o amor, a vida e a morte. Rulfo escreveu pouco, mas foi um mestre e influenciou mais de uma geração de intelectuais da América Latina. Gabriel Garcia Márquez, por exemplo, […]


| 04/01/2022 20:44

Com medo do bem-te-vi

Por Francisco Frassales Cartaxo Passamos o Natal em Itamaracá. Reforma no teto de nosso prédio nos privou, com as chuvas neste final de ano, de reunir a família aqui casa. A ilha histórica no litoral norte de Pernambuco foi um refúgio. Valeu. O hábito de acordar cedo me levou à praia com o sol acanhado, […]


| 27/12/2021 18:32

Era véspera do Natal

Por Francisco Frassales Cartaxo Lá está ele aguando um pé de jasmim, na calçada do prédio onde mora. Com um balde d’água e uma pequena cuia de plástico borrifa com os dedos a água nas folhas e no chão. Faz das mãos um regador. Calmamente. Em gestos lentos, curva-se várias vezes, exercitando seu cansado corpo […]


| 21/12/2021 17:08

Tortura e morte no Rio do Peixe

Por Francisco Frassales Cartaxo O escravo Miguel, fujão, preguiçoso e ladrão, levou mais uma grande surra, com um xiquerador de relho cru que tinha um nó na ponta, aplicada a mando de seus donos pelo escravo Francisco. Apanhou muitas vezes, com grilhões nos pés, até no trabalho. Um dia, o escravo Francisco usara toda a […]


| 13/12/2021 19:09

Padre José Antônio Ibiapina

Por Francisco Frassales Cartaxo O cearense padre José Antônio Ibiapina, após concluir o curso de direito, em 1832, primeira turma da Faculdade de Olinda, onde logo foi professor. Exerceu mandato de deputado geral pelo Ceará, (1834-1837), com o nome de José Antônio Pereira Ibiapina. Antes de abandonar o Congresso, não aceitou ser ministro. Foi juiz […]


| 06/12/2021 18:34

Miséria exposta nas ruas

Por Francisco Frassales Cartaxo Mês passado estive no Rio de Janeiro, levado por solidariedade familiar. Minha esposa perdeu alguns parentes, pelos lados paterno e materno. Outros continuam a merecer cuidados. A viagem teve o objetivo de ficar junto das pessoas. Aproveitamos, também, para rever ou conhecer parentes meus, por exemplo, Nestor Rolim e o filho […]


| 30/11/2021 16:29

Por que cassar Castro Pinto?

Por Francisco Frassales Cartaxo A senadora Nilda Gondim criou polêmica desnecessária ao tentar pousar o nome de José Maranhão no Aeroporto, que já é Castro Pinto. Voo turbulento. Antes tivesse procurado saber de quem ela deseja cassar tão justa homenagem. Conhecer melhor o político, gestor público, jornalista, intelectual, tribuno. Essa prosaica atitude, simples precaução, evitaria […]


| 22/11/2021 19:04

O voo da guará vermelha

Por Francisco Frassales Cartaxo Peão da construção civil, carregado de angústia, num domingo à tarde, bate pernas pela cidade grande e encontra uma desolada prostituta, ansiosa por grana para remeter à velha de “braços encarquilhados”, que cuida do filho. Assim, num encontro à toa de dois excluídos, começa O voo da guará vermelha, de Maria […]


| 17/11/2021 08:59

Minha mãe, que falta você me faz!

Por Francisco Frassales Cartaxo Minha mãe faleceu no dia 10 de novembro de 1996. Faz 25 anos. Lembro bem seus últimos dias de vida. Joaninha, minha irmã, alertou os irmãos da aproximação da morte. Fomos chegando a Cajazeiras. Muitos dos 12 filhos ainda viviam. Guardo a última imagem dela, deitada na cama, num começo de […]

Recomendado pelo Google: