header top bar

section content

Já era tempo

22/06/2017 às 19h33 • atualizado em 22/06/2017 às 19h34

Como me considero um estudioso do futebol, nestas minhas andanças na busca de conhecer e entender melhor este esporte que é o que mais atrai os desportistas do mundo inteiro, jamais entendi a causa da infinita tradição deste em teimar na sua manutenção extremamente arcaica nestes tempos em que vivemos a plena modernidade. Todos os outros esportes mudaram, o Voleibol, o Basquetebol e o Futsal, isso para ficar apenas nestes e não me alongar tanto. Dentre estas mudanças, todas elas deram mais ênfase ao jogo, dentro e fora de campo. Mudou o tempo do jogo, os pontos, a quadra de jogo e até as bolas, com isso houve celeridade nas disputas e assim, os desportistas, começaram a vibrar e participar com mais frequência as suas competições. Pois bem, o futebol, teimosamente, continua em manter a sua cultura de não, mas, se abriu uma luz no fundo do poço e eis que vem ai, pelo menos é o que esperamos, mudanças nas “leis do futebol”.

A International Football Association Board que é o orgão da FIFA responsável pelo estabelecimento das regras do futebol, preparou um documento que propõe diversas mudanças. Entre elas, a alteração do tempo de jogo para 60 minutos de bola rolando, com o relógio parando quando a partida estiver paralisada, como funciona no futsal. O documento batizado de “Play Fair” tem três objetivos: melhorar o comportamento do jogador e aumentar o respeito; estender o tempo de bola rolando; e desenvolver a justiça e a atratividade. Na verdade, quem acompanha o futebol sente-se frustrado porque uma partida que teria a duração de 90 minutos tem menos de 60 minutos de bola rolando. As propostas de alterações nas regras do futebol estão divididas em três categorias: as que podem ser implementadas imediatamente; as que estão prontas para testes experimentos e as que precisam ser discutidas.

Principais propostas: Que o jogo tenha 60 minutos de bola rolando, com o relógio parando toda vez que a partida for paralisada; Que seja permitido ao árbitro apontar o fim do primeiro ou segundo tempo somente quando a bola parar de rolar; Que os pênaltis não tenham mais rebote, com o intuito de extinguir a invasão de área na cobrança; Que seja permitido cobrar o tiro de meta com a bola rolando; Cartões amarelos e vermelhos para os treinadores; Que seja permitido que o jogador cobre falta, escanteio ou tiro de meta para ele mesmo, sem precisar passar a bola para outro atleta. Mesmo com este sinal de mudanças, elas ainda são, no entender de muitos estudiosos e críticos do futebol, tímidas e precisam ser mais bem entendidas. Evidente que mesmo sobre contestações de muitos, as mudanças propostas já evidenciam que o alto comando do futebol, entendeu que este esporte precisa, urgentemente, de mudar, e elas devem ser feitas em suas leis que são consideradas velhas e ultrapassadas e não acompanharam a evolução do futebol fora de campo, neste caso mudar significará a própria sobrevivência do futebol.

Visitas ilustres

Recebi na minha residência visitas de grandes amigos e que há muito tempo não os via e eles vieram, como parte integrante da história do futebol cajazeirense, buscar os seus livros. Na quinta feira recebi Cilas Barros, o nosso conhecido Bilzinho de seu Nô, que marcou com a sua habilidade muitos dos bons momentos vividos no futebol cajazeirense, hoje ele mora em Fortaleza e como competentíssimo agrônomo presta trabalho no Estado do Ceará. No sábado, com muita alegria, foi a vez de recebermos Joan, que após 36 anos voltou a terrinha para rever amigos e familiares, ele foi um dos grandes goleiros da nossa cidade e pegou pelo Caranguejo de Zé de Sousa, Duque de Caxias, entre outros. Dois bons momentos de papo, sobre a bola e a nossa cidade, satisfação enorme em vê-los.

Milagre

Com 6 pontos, na terceira colocação, e tendo que vencer na última rodada e esperar uma série de combinações o Sousa terá mais um enorme complicador no seu sonho de passar a segunda fase do brasileiro da Série D, vai enfrentar o Central de Caruaru em Caruaru e com o time da casa precisando da vitória para se garantir na próxima fase desta competição. A verdade é que, assim como foi no Campeonato Paraibano desta temporada, o Dino tremeu em jogos realizados em Sousa no Marizão e deixou preciosos pontos que agora serão difíceis de recuperar. O discurso é de otimismo entre os dirigentes e comissão técnica, mas, a torcida do time sousense já jogou a toalha e não acredita em milagre.

BOLA DENTRO
Para o Botafogo PB que continua acelerando a sua corrida em busca do mata mata para a Série B. Em João Pessoa a torcida acredita que desta vez o time sobe de categoria. Parabéns ao Belo com a NOTA 10!

BOLA FORA
Para a briga generalizada entre facções de torcidas do Botafogo PB e do Remo. Prisões e citações dos acontecimentos na súmula do jogo. Pelo visto vem problema para o time da Paraíba. NOTA 0!

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br

MERCADO NEGRO

EXCLUSIVO: Padre denuncia que Cajazeiras está repleta de ‘locadoras de armas’: “A polícia sabe” – VÍDEO!

PARABÉNS

VÍDEO: Veja a mais nova música que homenageia a cidade de Cajazeiras nos seus 154 anos de emancipação

AO VIVO

Assista ao Debate de Cajazeiras completo; vários temas foram levantados para melhorar a cidade

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br