Brasil
05/11/2016 às 07h00 • atualizado em 04/11/2016 às 23h35

postado por: Estagiário

Vereador do nordeste é preso suspeito de assassinato por disputa política

Outros dois homens foram presos suspeitos do crime. Homem morreu com um tiro na cabeça no dia do 1º turno das eleições.

Polícia apreendeu quarta armas de fogo na casa de um dos homens presos (Foto: Reprodução SSPDS)

Um vereador reeleito e outros dois homens foram presos nesta sexta-feira (4) em cumprimento a mandados de prisão preventiva na cidade de Itapiúna, no interior do Ceará. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o trio é suspeito de matar um homem no dia do primeiro turno das eleições, em outubro deste ano.

Foram capturados o vereador Francisco Alberto Leite Barros Filho (31), o “Albertin”, que exerce seu segundo mandato, e outros dois suspeitos, todos sem antecedentes criminais. A polícia cumpriu mandados de busca e apreensão nas residências dos suspeitos, e também apreendeu quatro armas de fogo.

O pai do vereador também acabou preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. Em sua residência, os policiais apreenderam quatro espingardas e munições. Outro suspeito, que também está com mandado de prisão em aberto pela morte de Antônio Gésio, continua sendo procurado pela Polícia.

De acordo com o delegado Maurício Junior, titular da Delegacia Municipal de Aracoiaba e responsável pelo caso, o homicídio de Antônio Gésio ocorreu em decorrência de disputas políticas na cidade de Itapiúna. O homem foi atingido por disparo de arma de fogo na cabeça quando seguia em um veículo na localidade de Barra Nova para entregar crachás a pessoas que trabalhariam nas eleições 2016.

“Suspeitos armados intimidavam pessoas que pedissem votos para candidatos opositores”, disse o delegado, ressaltando que as investigações indicaram que o vereador tinha ciência das ameaças feitas aos apoiadores de seus adversários. Ainda segundo o delegado Maurício Junior, o homem foi morto devido os suspeitos desconfiarem que a vitima estivesse pedindo voto para outro político.

Após as prisões, os suspeitos foram encaminhados para a delegacia de Aracoiaba para realização dos procedimentos policiais. O pai do vereador foi autuado por porte ilegal de arma de fogo, mas foi liberado após pagamento de fiança.

G1

Deixe seu comentário




Mais Brasil