Notícias
26/11/2016 às 08h06 • atualizado em 26/11/2016 às 08h12

postado por: C. Campelo

Governo se antecipa e discute estratégias de combate à praga da mosca das frutas

A iniciativa do Governo do Estado, por meio da Sedap, faz parte do Programa Nacional de Combate à Mosca das Frutas estabelecido pelo Departamento de Sanidade Vegetal

A iniciativa do Governo do Estado, por meio da Sedap, faz parte do Programa Nacional de Combate à Mosca das Frutas estabelecido pelo Departamento de Sanidade Vegetal

O secretário de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), Rômulo Montenegro, realizou, na manhã desta sexta-feira (25), uma reunião com os fiscais agropecuários federais e estaduais, pesquisadores e entidades de representação dos produtores de frutas no Estado e demais entidades, para discutir estratégias de combate à praga da mosca das frutas. Na reunião, foram tratados temas como a importância para o Estado manter e comprovar que é área livre de moscas das frutas.

A iniciativa do Governo do Estado, por meio da Sedap, faz parte do Programa Nacional de Combate à Mosca das Frutas estabelecido pelo Departamento de Sanidade Vegetal, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (DSV/Mapa).

Para o secretário Rômulo Montenegro, a troca de experiência com outros estados e o conhecimento de novas estratégias preparam o Estado para uma atividade importante, que é a sanidade vegetal. “Na Paraíba, é importante destacar que não há registros de praga da mosca das frutas, por isso refuto como um momento fundamental para essa discussão. Nós estamos preparando o Estado para produzir grãos e frutas, principalmente usando o Canal Acauã-Araçagi por meio da transposição, além de várias outras áreas onde o Estado possa produzir, por isso é necessário o alinhamento de esforços para comprovar que somos livres da mosca das frutas. Todo esforço do Estado em mobilizar a Defesa Sanitária e Vegetal é para elevar a qualidade da produção estadual e ampliar os mercados exportadores. Para isso estamos realizando estudos  em parceria com a Embrapa Solos, órgãos estaduais, Defesa Sanitária Vegetal e setor privado, contando, claro, com o suporte estratégico da pesquisa e da extensão”, afirmou.

Presente à reunião, o diretor presidente da Biofábrica Moscamed Brasil, Jair Fernandes Virginio, falou sobre os procedimentos para certificação para área livre da mosca das frutas. “Estudos, pesquisas, elaboração de um plano estadual de controle das moscas das frutas, pensar o Estado como um todo, polos de produção, perímetros irrigados, ter a noção do que se passa em termos de pragas, esforço conjunto entre governos estaduais, são as principais etapas para comprovação de área livre da mosca das frutas”, disse.

Na reunião o gerente de Irrigação da Sedap, Demilson Lemos, fez uma apresentação do convênio celebrado entre o Governo do Estado, Embrapa/Solos sobre o estudo agroclimático do canal das vertentes litorâneas que indica o potencial do solo para produção de grãos e frutas. O convênio será executado pela Sedap.

O fiscal da Defesa Vegetal da Paraiba, José Otávio, mostrou as experiências e estratégias usadas nos estados do Ceará e Rio grande do Norte, que têm o status de livre, da Anastrefhagrandis. “Monitoramento de pragas, atividades de campo e laboratório, especificação de armadilhas são algumas das estratégias usadas pelos técnicos. Este status de Área Livre de Moscas das Frutas credenciou os Estados a exportar frutas para países que exigem esta condição fitossanitária como por exemploos Estados Unidos, Chile e Argentina”, observou.

A reunião contou ainda com a presença do gerente e fiscais da Defesa Agropecuária, representantes do Mapa, Adriana Costa, representantes da Faepa/Senar, Sebrae, Asplan, Emater, Emepa e da Empresa Doce Mel.

 

 Secom

Deixe seu comentário