header top bar

section content

“Brasil está mudando para melhor”, diz Ministro da Fazenda

Em Nova York, ministro da Fazenda comemorou a aprovação em primeiro turno na Câmara da PEC que limita o gasto público

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

12/10/2016 às 10h00 • atualizado em 11/10/2016 às 17h01

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em sua passagem por Nova York (Christopher Goodney/Bloomberg/Getty Images)

O ministro da Fazenda, Henrique Meireles, avalia que a aprovação final no Congresso da proposta de emenda constitucional (PEC) que estabelece um teto para o gasto público terá impacto positivo para o rating soberano brasileiro. Segundo Meirelles, que falou a jornalistas em Nova York após reunião com investidores na sede do Bank of America, o Brasil “dá demonstrações sólidas de que está mudando para melhor”.

O impacto sobre a nota de crédito do país – uma medida da confiança dos investidores estrangeiros na economia brasileira – não deve ser imediato, ressalvou o ministro. “Não há dúvida que haverá impacto. Não é um impacto imediato. As agências de rating têm um processo normal de aguardar os desdobramentos”, afirmou. Para ele, a aprovação da PEC é um passo fundamental para a melhora da avaliação de risco brasileira. “O item mais importante do rebaixamento do Brasil foi exatamente a questão fiscal, a trajetória das despesas públicas.”

Meirelles disse que as indicações de seus contatos nas agências de classificação de risco em Nova York têm sido “extremamente positivas”. “No devido tempo, com os efeitos da PEC começando a se concretizar, certamente devemos ver melhora de rating.” O ministro disse que na atual viagem aos Estados Unidos, que começou na semana passada em Washington e prossegue esta semana em Nova York, tem tido conversas com representantes das agências de classificação de risco em eventos, embora não tenha feito uma visita específica a nenhuma delas.

O ministro também se mostrou animado sobre a aprovação em primeiro turno da PEC dos gastos na noite de segunda-feira. “O resultado é muito importante, na medida em que mostra a disposição do Congresso de enfrentar os problemas básicos que fazem com que a economia esteja em recessão”, afirmou Meirelles. A votação da proposta em segundo turno na Câmara será no dia 24 de outubro. Depois, ela segue para o Senado, onde também passará por votação em dois turnos.

A expectativa de aprovação da PEC já vinha provocando aumento da confiança de investidores e consumidores, mas é importante que o texto passe no Congresso para garantir que a economia volte a se recuperar. O ministro disse que os protestos contra a PEC, que apelidaram a medida de “PEC da maldade”, fazem parte da democracia e são saudáveis. “É a PEC do equilíbrio fiscal, do crescimento e do emprego”, disse.

Veja com Estadão Conteúdo

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis

CADASTRAMENTO

VÍDEO: Prazo final para biometria na região de Catolé do Rocha é antecipado, e Justiça alerta eleitores

MITO DA INTERNET

VÍDEO: Fenômeno Gleyfy Brauly bate recorde de audiência no Xeque-Mate e canta sucessos no ‘imbromation’

CALDEIRÃO POLÍTICO

VÍDEO: Aliado releva que dois vereadores de oposição estão rasgando elogios ao prefeito Airton Pires