header top bar

section content

Remuneração do FGTS deve ficar em TR acrescida de 6% ao ano

Não prejudicará as políticas de financiamento", disse o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira

Por Ana Maria

15/12/2016 às 20h00 • atualizado em 15/12/2016 às 19h27

© DR

A remuneração do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) deve aumentar e ficará próxima das cadernetas de poupança. A novidade faz parte do pacote de medidas microeconômicas anunciado nesta tarde pela equipe econômica. Segundo o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, o aumento da remuneração será possível porque os cotistas passarão a receber parte da remuneração obtida com as aplicações dos recursos do fundo.

“Vamos agregar à remuneração a distribuição de parcela de 50% do resultado líquido do FGTS. A remuneração total evidentemente vai depender do resultado anual do fundo, mas haverá acréscimo. Nas simulações iniciais, a remuneração fica aproxima da poupança”, disse Dyogo. Segundo o ministro, a rentabilidade das contas do FGTS deve ficar próxima da Taxa Referência (TR) acrescida de 5% ou 6% ao ano. Atualmente, as cotas são remuneradas em TR + 3% ao ano.

Dyogo ressaltou que a nova disposição não alterará as atuais políticas de investimento do Fundo. “Vai ser apenas o resultado líquido após pagamento de todas as despesas do fundo. Também não prejudicará as políticas de financiamento”, disse. Com informações do Estadão Conteúdo.

Notícias ao Minuto

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula