header top bar

section content

Ex-catadora acha R$ 250 mil no lixo, devolve e trabalha como modelo, mas recebe R$ 300 por mês

Ana Maurícia dos Santos Cruz, de 23 anos, não tem emprego fixo e faz bicos para ajudar família

Por

22/05/2015 às 08h30

Modelo honesta ganha R$ 300 (Foto: Reprodução/ Shopping North)

A ex-catadora de lixo que ficou famosa ao devolver um cheque no valor de R$ 250 mil ao Hospital do Câncer em Barretos, no interior de São Paulo, estreou como modelo em uma campanha para o Dia dos Namorados de um shopping da cidade. Apesar do trabalho em frente às câmeras, a jovem relatou ao R7 que continua enfrentando dificuldades no seu dia a dia.

Em janeiro desde ano, Ana Maurícia dos Santos Cruz, de 23 anos, trabalhava como catadora de lixo quando encontrou um cheque de doação destinado ao hospital. A moça devolveu a quantia e recebeu a proposta de trabalhar como copeira na instituição.

Como já havia voltado a estudar no período noturno, a moça desistiu da vaga porque não conseguiria conciliar os estudos com o trabalho.

— Eles ofereceram [a vaga], que era das 16h às 22h, e eu não poderia aceitar esse horário porque tinha voltado a estudara à noite. E o hospital fica longe [da minha casa], do outro lado da cidade.

A jovem mora com a mãe dona de casa, com o pai aposentado e com o filho Maurício, de quatro anos. Ela também não recebe pensão do pai do garoto, que está preso. Desde que recusou a proposta do hospital, Ana está sem emprego fixo e faz bicos para ajudar nas despesas da casa.

— Cuido da minha sobrinha quando minha irmã vai trabalhar e passo roupa para fora. Por mês, acho que ganho uns R$ 300 no máximo.

No início deste mês, a ex-catadora recebeu um convite para participar de uma campanha para o Dia dos Namorados do Shopping North, de Barretos, cujo cachê foi de R$ 250. Ana espera receber mais convites, mesmo não se considerando uma modelo.

— Se me chamarem, eu faço sim.

Foram as dificuldades em conseguir um emprego fixo que a atraíram para a reciclagem de lixo, depois de procurar trabalho como vendedora.

— Eu entrei porque precisava do dinheiro. Era o único que me pegou. As lojas não tinham me aceitado.

Na época em que trabalhava como catadora, ela ganhava R$ 240 por semana, mas descarta voltar a catar lixo porque o trabalho era muito pesado.

Agora, a ex-catadora pretende continuar estudando. Ana quer terminar o Ensino Médio até o final do ano. Como ganhou uma bolsa de estudos, ela vai começar um curso de enfermagem em 2016.

R7

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe