header top bar

section content

Prefeita Aldery Cajú solicita exclusão de Bonito de Santa Fé dos municípios devedores

A prefeita de Bonito de Santa Fé, Alderi Caju (PMDB), que recebeu a Prefeitura de seu antecessor com muitos problemas, passou a semana passada em Brasília em busca de soluções que não emperrem, ainda mais, sua administração. Durante sua estada na capital federal a prefeita, que foi acompanhada da secretária de Administração do município, Maria […]

Por

31/03/2009 às 22h46

A prefeita de Bonito de Santa Fé, Alderi Caju (PMDB), que recebeu a Prefeitura de seu antecessor com muitos problemas, passou a semana passada em Brasília em busca de soluções que não emperrem, ainda mais, sua administração.

Durante sua estada na capital federal a prefeita, que foi acompanhada da secretária de Administração do município, Maria do Socorro, visitou vários ministérios para tentar resolver as inúmeras pendências que estão bloqueando o repasse de recursos para o município e impedindo a nova administração de pleitear outros investimentos para projetos futuros.

No Ministério das Cidades, a prefeita solicitou a suspensão da inadimplência do município referente a inscrição no Cadastro Único de Convênio (CAUC) em razão da falta de prestação de contas do convênio Nº 0188475-95, com vigência entre 30.12.2005 e 30.05.2008.

“O prefeito que me antecedeu não providenciou a devida prestação de contas, nem transmitiu a nova administração qualquer documento que fizesse referência ao convênio, o que nos impede de receber qualquer tipo de transferência voluntária, seja do Governo Federal ou Estadual”, argumenta a prefeita que também solicitou no ofício que a atual administração ganhe isenção em relação aos atos praticados pela gestão anterior.

Em outro ofício, a prefeita Alderi Caju solicita ao Ministério das Cidades que o órgão determine medidas cabíveis para que o antigo gestor, Jozimar Alves Rocha, seja responsabilizado pela falta de prestação de contas dos convênios 0214385-60, 0214384-55 e 02124383-40 celebrado entre o município e o Ministério da Integração Nacional.

Os referidos convênio já tiveram sua vigência encerrada e encontram-se em fase de prestação de contas final. “Oficiamos os órgãos fiscalizadores, tanto federais, quanto estaduais e ingressamos com uma ação de interpelação judicial na Justiça Comum da Paraíba para que o antigo gestor seja responsabilizado pela não prestação de contas destes convênios, porque entendemos que o município e sua população não podem ser punidos por erros cometidos pelos antigos gestores”, afirma a prefeita.

Alderi Caju que é prefeita de primeiro mandato e conseguiu desbancar uma oligarquia que administrava Bonito de Santa Fé a mais de quatro décadas tem muitos projetos para desenvolver em Bonito de Santa Fé, mas que esbarram nas pendências herdadas da antiga gestão. “Fui à Brasília mostrar que não podemos ser responsabilizados por má ingerência de antigos gestores.

A cidade precisa avançar e não pode ser penalizada”, finaliza a prefeita que teve na capital federal o apoio dos deputados Wilson Santiago, Luiz Couto e Marcondes Gadelha.

O município de Bonito de Santa Fé ainda tem várias pendências referentes a antiga gestã referentes ao instituto de previdência própria do município (o IPASB). Esse instituto nunca recebeu o repasse patronal (a não ser por parcelamentos), tais como, Aplicações financeiras de acordo com Resolução do CMN, pendências de Caráter contributivo com inativos e pensionistas, em relação a Demonstrativo Previdenciário – Encaminhamento à SPS e demonstrativo dos Investimentos e Disponibilidades Financeiras.

Fonte: Ascom

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares