Cidades
11/11/2016 às 13h12 • atualizado em 11/11/2016 às 19h26

postado por: C. Campelo

Sousense que sofre com a doença pede ajuda para tratamento; Psicóloga fala sobre fobia. VÍDEO!

Jorge Luan, tem 22 anos e entrou em contato via email com o Portal e TVDS. Ele está arrecadando dinheiro para o tratamento.

A reportagem do Portal e TV Online Diário do Sertão entrevistou nesta sexta-feira (11) a psicóloga Kamilla Pires e ela falou sobre a fobia social e suas principais causas. Segundo estudos, a doença atinge milhares de brasileiros.

“O indivíduo vê o mundo como um lugar perigoso. Eles sempre acreditam que serão humilhados ou ridicularizados, que são inferiores as demais pessoas e incapazes de exercer atividades ou profissão”, disse ela.

Ainda segundo Kamilla, o tratamento pode ser realizado através de medicamentos e terapias.

Jovem sousense
Jorge Luan, tem 22 anos e entrou em contato via email com o Diário do Sertão, pedindo para divulgar uma campanha que ele mesmo criou, para ajudá-lo no tratamento de um grave problema de saúde.

Segundo familiares, ele foi diagnosticado com uma doença chamada chama Fobia Social, que consiste basicamente em uma ansiedade intensa diante de situações sociais com sintomas físicos e psicológicos palpitações, ansiedade e até depressão.

No contato com nossa equipe, o jovem alegou que já perdeu diversas oportunidades de emprego, e devido ao agravamento desse problema, ele abandonou os estudos e não sai de casa. Ele buscou tratamento no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) da cidade de Sousa, mas alegou que o tratamento não foi adequado, devido a ineficácia dos remédios.

Campanha realizada pelo jovem na internet (foto: reprodução)

Campanha realizada pelo jovem na internet (foto: reprodução)

De família humilde, e em busca de melhores alternativas, ele criou um site onde pessoas interessadas podem acompanhar um pouco da sua história e o ajudar contribuindo qualquer valor para um tratamento mais avançado em uma clinica particular.

” Sei que preciso ter paciência, mas o tratamento pelo SUS é precário e estou ciente de que só tomar remédio não adianta, preciso também de um tratamento psicológico, o mais breve possível.Minha família não tem recursos para pagar um tratamento particular, por isso uma amiga que conheci na internet me aconselhou a promover uma “vakinha” para que eu possa iniciar um tratamento com psiquiatra e psicólogo particular, além de comprar os remédios, que precisam ser usados por longo período de tempo.”

Para ajudar basta acessar: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/tratamento-para-fobia-social

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe seu comentário