header top bar

section content

Cães famintos matam criações de ovelhas e até boi em cidade da região de Cajazeiras

A maiorias são cadelas que foram abandonadas pelos proprietários, mas tem também cachorros que tem donos e não prendem os animais.

Por

27/11/2015 às 07h02

Homens são acusados de roubar ovelhas em São João do Rio do Peixe

Criadores de animais de áreas próximas das obras do Projeto São Francisco, no sítio Riacho da Boa Vista, município de São José de Piranhas, não sabem mais o que fazer com uma matilha de cães que vivem soltos atacando e matando animais, como ovinos, caprinos e até bovinos. A maiorias são cadelas que foram abandonadas pelos proprietários, mas tem também cachorros que tem donos e não prendem os animais.

O morador da localidade, Edimilson Claudino de Sousa, 58 anos, agricultor, contou ao site Radar Sertanejo que em apenas 40 dias sete animais dele foram mortos e devorados pela cachorrada. Segundo ele, foram seis ovelhas de raça que ele comprou através de um financiamento do Banco do Nordeste, custando R$ 500 cada. Além disso um boi também rasgado pelos cães.

Ele disse ainda que as cachorras geram filhotes, as pessoas levam os machos e deixam as fêmeas que se juntam com os outros e a tendência é aumentar se não forem tomadas as providências. Edimilson relatou que algumas pessoas criam cão e aproveita e solta no meio dos outros, mas se alguém reclamar, o dono acha ruim. Ele disse que vai prestar queira na Polícia antes que mais animais de sua criação sejam devoradores vira-latas pelos famintos.

DIÁRIO DO SERTÃO com Radar Sertanejo

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan