header top bar

section content

Bebê que nasce de cesárea tem mais chance de ser um adulto obeso, diz ciência

Entre dois irmãos, o filho de uma cesárea tem risco 64% maior para obesidade que aquele que nasce de parto normal.

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

15/09/2016 às 09h05

Cesária pode gerar adulto obeso, afirma pesquisas

Cesárea engorda – por décadas. Foi essa a conclusão a que chegou um novo estudo de Harvard, que acompanhou mais de 22 mil crianças por 20 anos. Bebês que nascem de operações cesarianas enfrentam um risco 15% maior de obesidade infantil que os filhos de parto normal, e essa tendência continua pesando até a vida adulta.

Os autores da pesquisa analisaram também a saúde das mães, que tem uma forte influência no metabolismo do bebê. Filhos de mães com sobrepeso ou com hipertensão durante a gravidez, por exemplo, já vem ao mundo com chances maiores de desenvolver obesidade. Nesses casos, a cesárea é frequentemente recomendada pelos médicos.

Mas, mesmo quanto os cientistas filtravam as condições físicas das mães, a ligação entre peso excessivo e tipo de parto ainda era forte. Uma das partes mais interessantes do experimento é que, entre os participantes, havia uma série de irmãos. Pessoas com a mesma mãe, criadas no mesmo ambiente, mas uma nascida de parto normal e outra de cesárea. Ou seja, cobaias perfeitas para a comparação que o estudo buscava.

Dito e feito: entre irmãos, a tendência à obesidade dos filhos de casárea era ainda mais pronunciada. Eles tem 64% mais chances de se tornar obeso que os irmãos nascido de parto natural.

Conforme os bebês do estudo foram crescendo, a tendência se manteve. Quando eles já eram jovens adultos, perto dos 20 anos, os nascidos de cesárea carregavam uma média de 0.3 pontos extras no IMC.

Para os cientistas, a explicação pode estar no intestino desses bebês. Quando uma criança nasce de parto normal, já entra no mundo em contato com bactérias do canal vaginal da mãe, que vão ajudar a compôr a sua flora intestinal. Evidências recentes mostrar que essa microbiota intestinal tem uma influência tão grande que mexe até na nossa saúde mental, impactando também nossa taxa metabólica.

Na antisséptica cesárea, não tem espaço para nada disso. Daí, é possível que a criança desenvolva um metabolismo mais lento – mas, para confirmar essa teoria, só refazendo os testes com mais milhares de bebês, coletando amostras da flora intestinal de cada um.

Quando a cesárea é indicada para uma gravidez complicada, geralmente o risco à saúde da mãe e do bebê é maior do que os 15% extras de chance de sobrepeso. Daí, vale a pena apostar.

Mas, como bem sabemos, no Brasil, campeão mundial de cesarianas, nem toda operação é justificada pela necessidade médica. Por isso, a recomendação dos pesquisadores de Harvard é que os pais e obstetras pensem bem – e coloquem os riscos de obesidade na balança.

Superinteressante

LANÇAMENTO

Festival Brasileiro de Cinema Espírita e Espiritualista foi destaque no programa Mensagem de Esperança

PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Saiba como descobrir sua vocação profissional e ser bem-sucedido da universidade ao trabalho

NO PROGRAMA OLHO VIVO

VÍDEO: Com doença grave, homem faz apelo à 9ª Regional de Saúde em Cajazeiras por medicamento atrasado

QUATRO DIAS DE EVENTOS

VÍDEO: Secretário convida população para o Arte Agosto, que começa hoje em Cajazeiras; veja programação!