header top bar

section content

Ex-Bozo fala sobre vício em cocaína e vida como pastor evangélico

Arlindo Barreto entrega que não sente falta da sua vida do passado, regada a muitas mulheres, Gretchen entre elas

Por Henrique

12/12/2016 às 07h47

Arlindo Barreto (Foto: Divulgação)

A rotina de Arlindo Barreto, um dos intérpretes do Bozo nos anos 1980, era dividida entre as muitas horas de trabalho e o abuso de álcool e drogas. Parte da sua história na frente e atrás das câmeras vai ser contada no filme ‘Bingo ‘ O Rei das Manhãs’, de Daniel Rezende, com Vladimir Brichta no papel principal.

“Passei um tempo com o Vladimir, um ator excelente. Fiz uma espécie de coach e ele conseguiu pegar cada detalhe. Também acompanhei as filmagens. Quando o trailer foi divulgado, um dos meus filhos disse: ‘Pai, ele está igualzinho a você’. Me emociono quando falo sobre isso'”, entrega Arlindo, sobre o filme.

Hoje com 63 anos e pastor evangélico, Arlindo fala também sobre o que é real e ficção no filme. A cena em que uma criança fala palavrão no programa é real, a cena que ele usa drogas antes do programa, segundo ele, é ficção.

“Isso é ficção. Não acontecia. Por dia, eram quatro palcos com participantes de excursões de quatro escolas. Um calor insuportável. Não teria como fazer o programa drogado”, conta.

Arlindo fará uma participação no filme, segundo informa a colunista Patrícia Kogut, como um homem que levará uma mensagem religiosa ao protagonista. Sua conversão, inclusive, foi uma das sua exigências para que o filme saísse do papel.

“Se o longa ficasse folia por folia não teria propósito. Queria mostrar o poder que Deus tem. Antes, acreditava que, se chegasse ao topo do sucesso, conquistaria a paz que tanto sonhava. Mas caí numa roda viva que foi justamente o contrário”, conta.

“Quanto mais trabalhava, mais distante eu ficava da minha família. Minha primeira mulher saiu de casa com meu filho. Desci toda a escada da fama, fiquei deprimido. Usei cocaína e entrei no buraco negro. Tentei ajuda em várias terapias e não encontrei. Quando me recuperei do acidente, me vi sem família, sem nada. Fui para a igreja e reencontrei o pastor que havia me ajudado no hospital. Ouvi a palavra de Deus, que tem uma força espetacular. Não senti mais vontade de beber, fumar maconha ou usar cocaína. Isso modificou a minha vida. Queria falar de Jesus na TV (no SBT) e não deixaram. Então, eu disse tchau”, finaliza.

Arlindo entrega que não sente falta da sua vida do passado, regada a muitas mulheres, Gretchen entre elas. O pastor hoje faz turnês com sua comédia gospel, sem cobrar ingressos.

Notícias ao Minuto

PROCESSO DE MIGRAÇÃO

Diretor regional na Paraíba tira todas as dúvidas sobre abertura de novas contas dos servidores estaduais no Bradesco

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview