header top bar

section content

Ximbinha nega ter traído Joelma: “Vivíamos de aparências”

O músico disse ainda que os problemas do casamento deveriam ser resolvidos em casa, mas ela quis levar para o palco.

Por Priscila Belmont

20/03/2017 às 17h42

Ximbinha e Joelma, separação ainda gera polêmicas (Foto: Reprodução)

A conturbada separação que protagonizou com a cantora Joelma, ainda rende muita dor de cabeça para Ximbinha. No quadro ‘Elas Querem Saber’, do Programa Raul Gil nesta sábado (18), o guitarrista teve que se explicar sobre alguns assuntos ainda não muito claros para o público. O artista reservou parte do seu desabafo para a religiosidade da ex-mulher, que é evangélica.

“Traição não tem nada a ver com a separação. Não existia outra. Vivíamos de aparências, vivemos um ano assim”, começou Ximbinha.

Os problemas começaram quando Joelma doou dinheiro e patrimônio do casal para a Igreja, segundo conta o músico. “Ela queria que eu me tornasse evangélico. A Joelma deu uma fazenda muito grande a uma Igreja e eu fui contra. Eu só fui contra porque foi adquirida com meu suor também”, revelou. “Mas não foi só fazenda. Ela construiu igrejas e deu muitas ofertas. Percebi que ela estava com problemas porque acreditava muito nas mensagens. Eu ficava triste porque aquela povo entrava na minha casa”, desabafa.

Ximbinha disse ainda que os problemas deveriam ser resolvidos em casa, mas ela quis levar para o palco. O cantor relembrou um show em que foi vaiado no Nordeste.

“O público não tem nada a ver com o que aconteceu com a gente. Senti muita tristeza”, contou Ximbinha”.

Notícia ao Minuto

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula