header top bar

section content

Em enquete da TV Diário do Sertão nas ruas de Cajazeiras, população e empresários dizem se são contra ou a favor do Carnaval 2016. VEJA!

Enquete perguntou se eles concordam com a festa e, se concordam, como ela pode ser feita sem causar danos ao cofres públicos

Por

27/11/2015 às 16h30

Às vésperas da maior festa popular do Brasil, ainda paira sobre Cajazeiras algumas dúvidas: em 2016, o carnaval da cidade será público ou privado? E se for público, é certo a prefeitura gastar dinheiro com festa em um momento de forte crise econômica e de dar prioridade ao combate à seca no município.

Nas ruas, a TV Diário do Sertão perguntou à população e aos empresários se eles concordam com a realização do carnaval no ano que vem e, caso concordem, de que maneira a festa pode ser feita sem causar grandes estragos aos já combalidos cofres da gestão municipal.

O comerciante Marcondes Ferreira tende a ser contra o carnaval nesse momento, mas caso a festa vá acontecer, ele gostaria que a divulgação fosse feita com antecedência para atrair foliões de fora. “Se for haver o carnaval, que eles anunciem um pouco antes para o pessoal que está fora da Paraíba vir para Cajazeiras gastar no comércio. Mas quando deixa para anunciar em cima da hora, quem está em outras cidades não vem”, justificou.

A também comerciante Francisca Paula prefere que o poder público se volte exclusivamente para questões sociais, principalmente relacionadas à seca. “Acho que a prefeitura deve se responsabilizar mais com poços artesianos, essas coisas que o pessoal está precisando mais. Sou mais ela focar nesse trabalho do que no carnaval”, disse.

O gerente de loja Joilson Batista ressalta que o carnaval, em tese, aumenta as vendas no comércio. Mesmo assim a situação econômica e, sobretudo, hídrica são tão graves que ele defende a não realização do evento. “Para o momento que a gente está, é uma coisa a se pensar. Tem outras coisas mais importantes para a cidade, que a prefeita tem que enxergar para que a gente possa também sanar essa crise hídrica”, pontuou.

O empresário Rubismar Galvão questionou se a prefeitura tem condições de arcar com a festa e depois não prejudicar suas obrigações financeiras. “O carnaval aquece a economia da cidade, mas não sei se nesse momento é conveniente a realização de um grande carnaval em Cajazeiras em função do alto investimento que se faz. A pergunta que se faz é se é conveniente a prefeitura, diante da crise que se fala, realizar esse carnaval. A prefeitura tem dinheiro suficiente para realizar o carnaval e dar de conta do restante dos seus dispêndios?”

Irlânio Cavalcante, presidente da CDL de Cajazeiras, teme que mais uma festa tradicional da cidade se acabe, como aconteceu com o Xamegão, prejudicando ainda mais o comércio. Ele criticou a indefinição da prefeitura. “É preciso dizer que o carnaval no ano que vem começa mais cedo e alguns projetos a essa altura já deveriam estar delineados, e o que se vê é a dúvida por parte do poder público e da iniciativa privada. O comércio, que deveria se beneficiar, vai ficar a mercê desse lucro certo que sempre houve.”

DIÁRIO DO SERTÃO

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares