header top bar

section content

Bruno se apresenta à polícia após decisão do STF mas volta para casa por ainda não ter um mandado de prisão expedido

Goleiro, no entanto, retornou para casa por ainda não ter um mandado de prisão expedido; ele assinou termo de compromisso para se entregar definitivamente quando o documento ficar pronto

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

26/04/2017 às 08h18

Goleiro Bruno assinou termo de compromisso na polícia para se entregar definitivamente quando houver um mandado expedido (Foto: Arquivo - Estadão Conteúdo)

O goleiro Bruno se apresentou à polícia no fim da tarde desta terça-feira (25) após a revogação da liminar o que mantinha solto desde o final de fevereiro. Ele se entregou pouco antes das 18h na Delegacia Regional de Varginha, no sul de Minas Gerais.

No entanto, como ainda não há mandado de prisão expedido, o goleiro retornou para casa. Ele assinou um termo se comprometendo a se entregar definitivamente quando existir o documento.

Nesta terça-feira (25), a Primeira Turma do Superior Tribunal Federal (STF) decidiu mandar o atleta de volta para a prisão por 3 votos a 1. O único a votar contra foi o ministro Marco Aurélio Mello, que havia concedido o Habeas Corpus para a liberação do goleiro. Alexandre de Moraes, Rosa Weber e Luiz Fux foram a favor do retorno à cadeia. Eles votaram após um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Em 2013, o Tribunal do Júri da Comarca de Contagem (MG) condenou Bruno pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e também pelo sequestro e cárcere privado do filho. O goleiro foi solto com a liminar de Marco Aurélio, após cumprir seis anos e sete meses de detenção em regime fechado.

“O próprio corpo de jurados assentou a crueldade do crime, a impossibilidade de defesa da vítima, a tortura, as mutilações e as degradações do corpo e o pior, da memória, já que o corpo não foi encontrado”, ressaltou Fux. “Estamos diante de um crime hediondo. Não se dá liberdade provisória a crime hediondo, são fatos gravíssimos. Casos como esse merecem um tratamento diferenciado”, concluiu Fux.

Logo após ser solto, Bruno assinou contrato com o Boa Esporte e disputou cinco jogos pelo clube mineiro que atua na segunda divisão do campeonato estadual e também na Série B do Brasileirão.

Band

RELIGIÃO

VÍDEO: Padre da região de Patos fala sobre promessa de cura e restauração em missas: “Quem cura é Jesus”

NO ACÚSTICO DIÁRIO

VÍDEO: Músico que foi atingido por um tiro em São José de Piranhas se emociona ao relatar o fato

NESTE FIM DE SEMANA

VÍDEO: Comerciante africano traz a Cajazeiras feira popular de São Paulo que vende pela metade do preço

DIRETO AO PONTO

Nutricionista sousense fala sobre a hipertensão e ensina receita de sal de ervas