header top bar

section content

Jogador brasileiro, ex-Corinthians viaja à China para ganhar R$ 2 milhões mensais

Renato Augusto se despediu do Corinthians na semana passada, após o clube chinês pagar a multa rescisória de 8 milhões de euros

Por

15/01/2016 às 08h40

Renato Augusto cortou o cabelo antes de viagem (Foto: Reprodução / Instagram)

Um dos grandes reforços do mercado chinês para 2016, o meia Renato Augusto ainda não viajou para se apresentar ao Beijing Guoan. Antes de ir para o novo clube, o ex-jogador do Corinthians deu um trato no visual e cortou o cabelo com o cabeleireiro Everson Conceição, o mesmo que cuida de alguns jogadores de Flamengo e Vasco, no Rio de Janeiro.

“Último corte de cabelo do mano Renato Augusto antes de ir para China. Vai com Deus irmão e muito sucesso. Te espero aqui na seleção”, escreveu o profissional ao compartilhar uma foto, na madrugada desta sexta-feira.

Renato Augusto se despediu do Corinthians na semana passada, após o clube chinês pagar a multa rescisória de 8 milhões de euros (cerca de R$ 34,5 milhões) para levá-lo. O craque irá receber um salário de cerca de R$ 2 milhões por mês.

– Eu não escolhi a China. A China me escolheu. Minha ideia inicial não era essa. Jogador tem dez anos para ganhar dinheiro. Chega uma proposta dessa, para pensar nos seus filhos e talvez nos netos, vai balançar. Principalmente um jogador com meu histórico. Posso começar o ano e ter lesão. Aí falaria que era melhor ter ido. Torcedor age na emoção. Muitos xingam, mas muitos agradecem – afirmou Renato Augusto, na coletiva de sua despedida do time paulista.

Extra

MERCADO NEGRO

EXCLUSIVO: Padre denuncia que Cajazeiras está repleta de ‘locadoras de armas’: “A polícia sabe” – VÍDEO!

PARABÉNS

VÍDEO: Veja a mais nova música que homenageia a cidade de Cajazeiras nos seus 154 anos de emancipação

AO VIVO

Assista ao Debate de Cajazeiras completo; vários temas foram levantados para melhorar a cidade

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor