header top bar

section content

Vereador propõe pausa para fazer sexo durante o trabalho; ele diz que objetivo é combater tédio e depressão

Segundo político, objetivo é combater tédio e depressão em cidade que fica boa parte do ano no escuro e debaixo de neve

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

24/02/2017 às 20h18

Escapada durante o trabalho na seria cobrada(Foto: Benjamin Combs/Unsplash)

O vereador de uma cidadezinha sueca situada no Circulo Polar Ártico apresentou uma proposta inusitada para melhorar o humor dos funcionários da prefeitura: fazer sexo.

O homem por trás da ideia, Erik Muskos, vereador em Overtornea, no extremo-norte da Suécia, defende que os servidores tenham permissão para interromper o expediente e dar uma escapadinha para transar com seus parceiros – e a pausa não seria descontada do salário.

Ele alega que as relações sexuais podem aumentar a motivação e a produtividade dos funcionários e incrementar as taxas de natalidade na cidade, que tem cerca de 4,5 mil habitantes.

Segundo Muskos, a proposta já foi aceita por “quase todos” os 550 funcionários municipais e deve ser discutida pela Câmara dos Vereadores nos próximos meses. O vereador diz que os principais críticos de sua ideia são servidores idosos que acham “embaraçoso” legislar sobre o que acontece na cama. No entanto, ele afirma que manter relações sexuais seria uma forma de combater o tédio e a depressão em uma cidade que fica boa parte do ano no escuro e debaixo de neve.

“Devemos cuidar uns dos outros”, disse Muskos à rede britânica “BBC”. “Se assim conseguirmos melhorar nossas relações, então terá valido a pena”, acrescentou.

Band

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’