header top bar

section content

Justiça entrega às polícias e ao Conselho Tutelar portaria sobre crianças e adolescentes no carnaval de Cajazeiras, e juíza sugere atenção especial à Praça dos Blocos: “Essa praça é um lugar complicado” – VÍDEO!

Nesta sexta-feira (24), o poder judiciário se reuniu com autoridades policiais e gestores públicos para entregar a portaria

Por Jocivan Pinheiro

24/02/2017 às 15h46 • atualizado em 24/02/2017 às 15h50

Nesta sexta-feira (24), o poder judiciário de Cajazeiras se reuniu com autoridades policiais e gestores públicos para entregar a portaria que orienta sobre a presença de crianças e adolescentes no carnaval da cidade com base no Estatuto da Criança e do Adolescente. Segundo a juíza das Execuções Penais, Adriana Lins, o documento tem o objetivo de proteger crianças e adolescentes da exposição a bebida alcoólica, drogas, erotismo e violência.

Segundo a portaria, crianças só podem permanecer nos eventos carnavalescos até as 22h, acompanhados dos pais ou responsáveis autorizados. Já os adolescente a partir de 16 anos podem permanecer por mais tempo. Eventos voltados somente para o público infantil não podem tocar músicas que incitem à violência, ao erotismo ou façam apologia ao consumo de álcool e drogas.

VEJA MAIS: Após pressão da oposição e intervenção do MP, entrada de bebida no carnaval de Cajazeiras é liberada, mas suposta área VIP gera polêmica

Juíza Adriana Lins

A lei também determina punição de 2 a 4 anos de prisão a quem for pego vendendo bebida alcoólica para crianças e adolescentes, além de multa de 3 a 10 mil reais e interdição do estabelecimento. A fiscalização da portaria fica a cargo das polícias e do Conselho Tutelar, que terá plantonista na prefeitura e visitando os pontos de festa. O Ministério Público e a Justiça também terão plantonistas durante esse período.

“É importante que estejam todos atentos a isso, que haja uma comunicação constante entre eles. Todos estarão de posse do teor da portaria, que nada mais é do que uma junção de todos os dispositivos legais que regem a situação de criança e adolescente em eventos de um modo geral”, destaca a magistrada.

Ao comentar sobre as praças alternativas do carnaval, Adriana Lins sugeriu que é preciso atenção especial à Praça dos Blocos (ou Praça dos Paredões), onde costuma-se ter um número grande de adolescentes consumindo bebida alcoólica e em diversas situações de exposição e risco.

“Infelizmente essa praça dos paredões é um lugar muito complicado. Eles não estão, em tese, cometendo um crime [menores bebendo], mas estão em situação de exposição e risco que a lei não permite e que por isso eles devem ser acompanhados pelo Conselho Tutelar.”

DIÁRIO DO SERTÃO

ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Psicologia no Ar recebe professor doutor de Cajazeiras pra falar sobre Psicologia Social

INTERVIEW

VÍDEO: Autor do filme “Memória Bendita” fala sobre os desafios de promover cultura na região de Sousa

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de Água da Vida

MARIA CALADO NA TV

Maria Calado na TV recebe diretamente do Rio Grande do Norte, Fábio Carvalho; CONFIRA!