header top bar

section content

TRAGÉDIA: Em três dias, mãe perde dois filhos afogados em lago. “Está sendo muito difícil”

Após a morte da irmã, a musicista Jéssica da Cruz, Genival enviou áudio para família e se jogou da Ponte JK. Corpo foi achado na terça

Por Luzia de Sousa

22/06/2017 às 15h39 • atualizado em 22/06/2017 às 15h50

Em três dias, mãe perde dois filhos afogados no Lago Paranoá

Uma mãe dilacerada por uma dupla tragédia. No sábado (17/6), a costureira Marlene dos Santos, 46 anos, recebeu a notícia de que o corpo de sua filha, a musicista Jéssica Tavares dos Santos da Cruz, 22, tinha sido encontrado no Lago Paranoá. Três dias depois, nesta terça (20), foi a vez do filho, Genival Tavares da Cruz, 25, morrer da mesma maneira e no mesmo local.

“Está sendo muito difícil, porque quando lembro da dor de um, logo percebo que também perdi o outro”, diz Marlene, aos prantos. Mal enterrou o corpo da filha, na Bahia, a costureira agora vela o do filho. Depois que a irmã morreu, Genival ficou recluso, triste e nem conseguia se levantar da cama.

Nesta terça (20), Genival saiu de casa e mandou uma mensagem de voz pelo WhatsApp para a família, por volta das 21h30, minutos antes de ser encontrado morto. “Ele foi breve. Dizia apenas que amava muito a minha tia [mãe deles] e todo o restante da família, mas que não conseguiria mais viver sem a irmã”, disse a prima, a publicitária Silvia dos Santos, 22.

Ainda segundo Silvia, o primo informou que estava no mesmo local onde Jéssica havia sido encontrada e se despediu. Depois disso, não visualizou mais as mensagens em seu celular. “Imediatamente nós acionamos os Bombeiros e fomos até a orla da Ponte JK. Quando chegamos, já era tarde demais”, detalhou. Os militares tentaram reanimar Genival por cerca de uma hora, mas ele não resistiu. “A família está desconsolada. É inacreditável tudo o que estamos passando. Um momento repleto de dor”, acrescentou a prima.

Moradora da QNN 1 de Ceilândia, Marlene dos Santos não consegue entender a tragédia. Em uma breve conversa com o Metrópoles nesta quarta (21), ela disse que os filhos eram muito unidos desde pequenos. Não se desgrudavam. “Eram meninos muito bons”, resume a costureira, que tem uma outra filha.

Genival era um jovem aplicado e cheio de planos. Dava aula de idiomas (inglês, francês e espanhol). Fazia duas faculdades, de direito e letras. Só parou a rotina agitada depois que a irmã morreu. Pela descrição dos familiares, não passava por momentos de depressão antes de perder Jéssica de forma trágica.

Carro encontrado
A jovem desapareceu na madrugada de quinta-feira (15), quando teria saído de um encontro religioso no Riacho Fundo para o Lago Sul. Segundo informações de colegas, o carro dela foi encontrado estacionado perto de restaurantes às margens do Lago Paranoá. Imagens de câmeras de segurança mostram a musicista caminhando na região. O material está com a polícia.
Após receber a informação, a família acionou o Corpo de Bombeiros. As buscas no Lago começaram às 13h45 de sexta (16) e duraram cerca de cinco horas, até serem encerradas com o cair da noite. Foram retomadas às 6h15 de sábado (17), quando os socorristas acharam o corpo da jovem.

Amigos da musicista contaram ao Metrópoles que Jéssica havia trancado o curso de música na Universidade de Brasília (UnB) e estava se dedicando a projetos na Igreja Sara Nossa Terra, no Sudoeste. A jovem era apaixonada por saxofone.

As roupas e os pertences de Jéssica foram encontrados na beira do Lago. “Ela estava com um short e uma blusa preta que usava para tomar banho. A Jéssica nunca tinha relatado problema com os pais. Não tinha motivo para tirar a própria vida”, comentou Silvia.

Marlene, a mãe, busca respostas para a morte da filha. “Não quero acusar ninguém, mas só queria entender o que aconteceu”, suplicou a costureira. O caso de Jéssica é investigado pela 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul). Na tarde desta quarta (20), familiares estavam reunidos na casa de Marlene, tentando reunir forças para suportar essa outra tragédia.

Metrópoles

DIÁRIO ESPORTIVO

Tudo sobre as novas contratações e a preparação dos times para o Campeonato Paraibano 2018

PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Psicólogos debatem comportamento do ‘stalker’ nas redes sociais e quando o amor se torna obsessão

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Batista Independente

MARIA CALADO NA TV

Com muita irreverência, banda Gata Dengosa estoura a audiência no programa Maria Calado na TV; ASSISTA!