header top bar

section content

Vereador de Patos pede afastamento de secretários com nomes mencionados por investigação do MP

Ao fazer uso da tribuna, Melquiades destacou que a prefeitura virou palco de escândalos e que tal fato não pode passar despercebido pelo poder legislativo.

Por Luzia de Sousa

23/07/2016 às 09h06 • atualizado em 23/07/2016 às 14h45

Vereador pede afastamento de secretários em Patos

Durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Patos nessa quinta-feira, dia 21, o vereador Jefferson Melquiades (PRB) comentou a investigação do Ministério Público Federal que apura suposto enriquecimento ilícito na realização do São João de Patos.

Ao fazer uso da tribuna, Melquiades destacou que a prefeitura virou palco de escândalos e que tal fato não pode passar despercebido pelo poder legislativo.

“Não podemos deixar de falar desse assunto, ainda mais na abertura dos trabalhos aqui nesta casa. Infelizmente a nossa prefeitura hoje é palco de escândalos pós escândalos. Há cada quinze dias a Polícia Federal baixa na porta da prefeitura para realizar operações que desbaratinam vários esquemas, seja de perseguição, seja de favorecimento, de enriquecimento ilítico, de fraudes. Então tudo isso não pode passar despercebido, principalmente pelo poder legislativo que é o órgão fiscalizador do executivo”, explanou Melquiades.

Jefferson ainda disse que fez um pedido ao líder do governo, vereador Ranieri Ramalho, para falar com a prefeita Francisca Motta no sentido de convencê-la a tomar uma atitude de afastar ou punir os secretários envolvidos.

DIÁRIO DO SERTÃO com Patosonline.com

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’