Política
26/11/2016 às 18h00 • atualizado em 26/11/2016 às 18h08

postado por: Priscila Belmont

Prefeito eleito de Cajazeiras, José Aldemir não poderá fazer contratos temporários; Entenda!

O prefeito eleito de Cajazeiras, José Aldemir, não poderá fazer contratos temporários.

Prefeitura Municipal da cidade de Cajazeiras

O prefeito eleito de Cajazeiras, José Aldemir, ao assumir o comando administrativo do município, no dia 1º de janeiro de 2017 vai se deparar com uma estrutura administrativa grandiosa. O futuro gestor não poderá fazer contratos temporários.

Ainda não se sabe se ele vai fazer alguma reforma nessa estrutura e se vai também reduzir o número de cargos comissionados.

Somente cargos comissionados são 301. São secretários, diretores, coordenadores, assessores e outras funções, de 1º, 2º e 3º escalões, para que todos os setores da administração funcionem, inclusive, os programas sociais.

Segundo as informações, inicialmente, o prefeito eleito não vai nomear todos esses cargos, o que deve e fazendo, apesar da grande pressão que vai receber dos aliados por emprego para familiares, cabos eleitorais e eleitores.

Na estrutura organizacional do município, que vem desde o governo de Léo Abreu, a prefeitura conta com 13 secretarias, 6 secretarias executivas e mais 4 secretarias-adjuntas.

São pastas como Educação, Saúde, Infraestrutura, Desenvolvimento Rural, Políticas Públicas, Controle Interno, Governo e Articulação Política, Administração, Procuradoria Jurídica, Cultura, Mulher, Meio Ambiente e Comunicação.

A administração municipal foi obrigada a demitir todos os contratados e ficou proibida de fazer novas nomeações. Segundo o Sagres do Tribunal de Contas do Estado, a Prefeitura de Cajazeiras, no mês de setembro a folha de pessoal foi de R$ 4.412.184,56; são 1.714 funcionários; os servidores efetivos somam 1.437; os comissionados consomem R$ 664.203,58 da folha de pessoal e o eletivos, no caso, prefeita, vice-prefeito e conselheiros tutelares a prefeitura gasta mensalmente de R$ 28.300,00.

Fonte: Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Deixe seu comentário