header top bar

section content

Saudade: Cajazeirense, prefeito de importante cidade do estado do Maranhão visita Terra do Padre Rolim

Ele já foi escolhido pela revista Associação Nacional dos Prefeitos e Vices do Brasil (ANPV), entre os 100 melhores prefeitos do país. Confira aqui!

Por

19/01/2016 às 14h35

Cajazeirense é prefeito de cidade do MA

O prefeito da cidade de Codó, estado do Maranhão é um cajazeirense radicado há muito tempo em terras maranhenses. Zito Rolim, esteve em Cajazeiras este final de semana para visitar parentes e tirar alguns dias de férias.

Zito falou com à imprensa cajazeirense a respeito da política do Maranhão e do cenário nacional. Ele é um dos filhos mais ilustres da terra do padre Rolim.

Ele já foi escolhido pela revista Associação Nacional dos Prefeitos e Vices do Brasil (ANPV), entre os 100 melhores prefeitos do país.

VEJA TAMBÉM

► Cajazeirense que mora no Maranhão é escolhido entre os 100 melhores prefeitos do Brasil

Breve histórico
Zito Rolim nasceu na cidade de Cajazeiras, na Paraíba, filho primogênito do casal de lavradores José Rolim e Maria Nilce Gonçalves Rolim, nasceu em 8 de outubro de 1956. Cresceu em meio às adversidades oferecidas pelas terras secas do sertão paraibano.

No ano de 1972, veio para Codó, com o objetivo de trabalhar com o seu tio Raimundo Rolim. Em 1975, iniciou sua vida empresarial, tendo como atividade principal o comércio atacadista de cereais.

Com o sucesso alcançado na sua atividade comercial, em 1988, ampliou sua área de atuação comercial, implantando a atividade agropecuária, e a partir de 1995 adentrou ao ramo de móveis e eletrodomésticos.

Casou-se em 1976 com a codoense Eliene Araújo Torres, filha do comerciante José Alves Torres e Maria Luiza Araújo Silva, de cuja união nasceram três filhos: Wellington Torres Rolim (odontólogo), Rômulo Torres Rolim (odontólogo) e Cinthya Torres Rolim (farmacêutica bioquímica).

Envolvimento com trabalho escravo
Em fiscalizações realizadas em sua fazenda São Raimundo/São José, o Ministério Público do Trabalho (MPT) e de agentes da Polícia Federal (PF) entre os dias 7 e 17 de dezembro encontraram encontraram 24 pessoas em condições análogas à escravidão. Entre as vítimas, havia duas mulheres responsáveis pelo preparo das refeições. Uma delas estava acompanhada de duas filhas com idades entre 5 e 6 anos e do filho de 13 anos, que tinha a função de levar a alimentação até a frente de trabalho, que ficava a 3 km de distância dos barracos utilizados como alojamento.

Os empregados eram responsáveis pelo “roço de juquira” – limpeza da área para formação de pasto para pecuária extensiva. Segundo a fiscalização, eles tinham dívidas com o “gato” e recebiam por produção, de R$ 10 a R$ 12 por dia. Os salários pagos eram inferiores ao salário mínimo nacional. A água consumida pelos trabalhadores vinha desse açude e não recebia nenhum tratamento ou processo de filtração [1] .

Política
Ingressou na política em 2000, lançando o seu nome a julgamento popular como candidato a prefeito, entretanto não foi eleito. Nas eleições de 2004, candidatou-se novamente a prefeito, pelo Partido Verde (PV), obtendo 21.492 sufrágios, sem êxito.

Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Codó, ocupante da cadeira n° 16, que tem como patrono René de Matos Bayma, é uma grande liderança política de Codó.

Zito disputava as eleições para a prefeitura codoense desde 2000, sendo que só conseguiu ser eleito prefeito de Codó em 2008, com 49% dos votos válidos, contra 46% do adversário e ex-prefeito, Biné Figueiredo, do PDT. Em 2012, foi reeleito para o cargo.

DIÁRIO DO SERTÃO 
Com Alex Gonçalves

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares