header top bar

section content

LUTO NO FUTEBOL DA PARAÍBA: Sousense e presidente do Treze morre em hospital de Campina Grande

De acordo com informações repassadas pelo diretor de futebol do Treze, o velório de Petrônio Gadelha está marcado para acontecer às 8h.

Por Luzia de Sousa

02/03/2017 às 09h16

Presidente do Treze morreu em Campina Grande

Uma notícia triste para o futebol paraibano e que pegou a torcida do Treze de surpresa. O presidente do Treze Futebol Clube, o sousense Petrônio Gadelha de 66 anos, morreu na madrugada desta quinta-feira (2), no Hospital Santa Clara, em Campina Grande.

O engenheiro foi vítima de um infarto e deu entrada na unidade hospitalar ainda na noite da quarta-feira (1º), mas não resistiu e faleceu. Um Boletim médico divulgado nesta quinta-feira (02) pela Clínica Santa Clara, , confirmou nas primeiras horas da manhã o falecimento o engenheiro Petrônio Gadelha.

De acordo com informações repassadas pelo diretor de futebol do Treze, o velório de Petrônio Gadelha está marcado para acontecer às 8h, no Parque Campo Santo da Paz, na Avenida Assis Chateaubriand, no bairro Velame.

Petrônio Gadelha estava a frente do Treze desde novembro de 2015, quando substituiu Bebeto Silva, que renunciou ao cargo. Ele foi reeleito em 2016 e deveria ficar a frente do Galo até o fim de 2018.

Com a morte de Petrônio, quem assume o comando do Galo é Hênio Galdino.

A morte de Petrônio ilutou o futebol paraibano. Na manhã de hoje, o Campinense divulgou nota de pesar em suas redes sociais. O presidente William Simões decretou luto em homenagem ao grande desportista paraibano, diz a nota.

DIÁRIO DO SERTÃO com PB Agora

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’