header top bar

section content

Sertão do Ceará registra tremor de terra em apenas dois dias seguidos

Entre terça-feira (19) e a manhã de quarta-feira (20), o laboratório do Labis/UFRN registrou três tremores de terra. Sendo o maior até o momento de magnitude 2,9.

Por Ceará 1 com G1CE

20/03/2019 às 15h36

Mapa de localização epicentral. O epicentro está representado pela estrela vermelha. O triângulo azul mostra a localização da estação de Pedra Branca (NBPB). Em destaque, os limites do município de Quixeramobim. (Foto: Sismos Nordeste)

O sertão do Ceará voltou a apresentar intensa atividade sísmica nesta terça-feira (19) e quarta-feira (20), segundo dados do Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN). Desta vez, o epicentro foi na cidade de Quixeramobim, que registrou dois tremores na terça e um nesta quarta. De domingo a segunda-feira, foram cinco tremores na cidade de Boa Viagem.

De acordo com os engenheiros do Labis/UFRN, até o fim da manhã desta quarta, já foram registrados mais de 70 eventos na estação de Pedra Branca (NBPB), a aproximadamente 50 km do epicentro, São Joaquim, localidade de Quixeramobim, no Sertão Central do Estado.

Os técnicos do LabSis/UFRN afirmaram que os dois primeiros eventos de terça ocorreram às 8h19, de magnitude 2,3 e, em seguida, às 10h14, de magnitude 2,0. Nesta quarta, de acordo com os especialistas, ocorreu o maior tremor até agora, de magnitude 2,9, por volta das 7h32. Esses eventos foram registrados por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira operadas pela UFRN.

O laboratório informou que conversou com a Defesa Civil de Quixeramobim. O órgão confirmou que os tremores de terra vêm sendo sentidos principalmente na localidade de São Joaquim. A localização preliminar do evento de quarta mostra que o mesmo ocorreu a menos de 5 km dessa localidade.

Os técnicos afirmam também que em situações semelhantes, não é possível prever como essa atividade sísmica vai evoluir, podendo diminuir ou até mesmo aumentar. “De qualquer forma, uma equipe do LabSis deve seguir para a região para, em colaboração com a Defesa Civil, esclarecer a população e, tentar instalar estações sismográficas portáteis que permitam identificar com maior precisão a área epicentral”, afirmou o LabSis/UFRN.

Tremores em Boa Viagem
Cinco tremores foram registrados entre domingo (17) e segunda-feira (18), no Sertão Central do Estado. O epicentro desta vez foi a aproximadamente 20 quilômetros de Boa Viagem. Esses eventos também foram registrados por estações da Rede Sismográfica Brasileira operadas pela UFRN, responsável pelo monitoramento do Ceará.

Segundo os engenheiros, domingo à noite ocorreram dois sismos. O primeiro de magnitude 1,8 por volta das 22h24. A segunda ocorreu às 23h20 de magnitude 2,1 e a terceira registrada já na madrugada de segunda-feira (18), de magnitude 2,4.

Na segunda-feira no período da tarde, foram computados dois eventos. O primeiro evento, de magnitude 2,3, ocorreu às 12h45. O segundo, de magnitude 2,6, às 16h28.

Segundo Francisco Brandão, da Defesa Civil do Ceará, os eventos de domingo à noite foram sentidos também no município de Madalena.

Histórico de tremor
Em 20 de novembro de 1980, ocorreu um tremor de terra na cidade de Pacajus com magnitude de 5,2. Outros tremores foram registrados no Estado. Houve um de magnitude 4,8, no município de Irauçuba, em 1991. Já no ano de 1997, também ocorreu atividade sísmica de 3,2 dentro do reservatório do Açude Tucunduba, entre os municípios de Senador Sá e Marco.

Outro tremor forte foi sentido em Sobral, em 2009, quando chegou a 4,3 graus. Esse tremor causou rachaduras em estruturas de concreto e derrubou móveis em residências e comércios. O tremor atingiu uma área de 200 quilômetros de raio e chegou a afetar cidades do litoral cearense, como Fortaleza.

E em outubro de 2017, um tremor de terra em Cascavel, de magnitude 3, causou fissuras em prédios, fez casas tremerem e assustou moradores.

Causa dos tremores
Segundo o Laboratório de Sismologia da UFRN, os tremores ocorrem devido a fossas subterrâneas que estão constantemente em atividade sismológica.

As fossas são ligadas ao encontro das placas tectônicas no Oceano Atlântico, que ligam a América do Sul ao continente africano. Os tremores também podem estar relacionados à atividade sismológica das placas tectônicas.

Fonte: Ceará 1 com G1CE - https://g1.globo.com/ce/ceara/noticia/2019/03/20/terra-volta-a-tremer-no-sertao-central-do-ceara-laboratorio-registra-tremor-de-magnitude-29-em-quixeramobim.ghtml

Recomendado para você pelo google

QUE VENHA!

VÍDEO! Profeta da chuva revela a previsão para o inverno no Sertão da Paraíba: “Serão 9 meses de chuva”

POLÊMICA

VÍDEO: Vereador cobra a convocação do concurso de Cajazeiras: ‘Era de urgência e o prefeito não convoca’

VÍDEO

Deputado cajazeirense abre o jogo e revela com quem fica após o racha no PSB da Paraíba

EDUCAÇÃO

VÍDEO: Xeque Mate fala sobre tradicional colégio de Cajazeiras e recebe diretora, professoras e alunas