header top bar

section content

Hospital de Cajazeiras divulga nota após membros da imprensa tentarem entrar em área proibida. Veja aqui!

De acordo com o protocolo seguido pela assessoria de comunicação do Hospital Regional de Cajazeiras, não é permitida entrada no Eixo Vermelho. Confira!

Por

12/09/2015 às 15h37

Hospital Regional de Cajazeiras (foto: divulgação/internet)

A assessoria de comunicação do Hospital Regional de Cajazeiras vem por meio desta explicar o que se segue;

Na manhã deste sábado (12) deu entrada no serviço de urgência do HRC, um popular vitima de disparo por arma de fogo, e que na mesma ocasião alguns profissionais de imprensa ao procurar informações sobre o ocorrido, tentaram adentrar as dependências do Eixo Vermelho 01, local de acesso restrito a qualquer pessoa, até mesmo familiar de paciente e funcionários do hospital que não estejam de serviço no referido setor, devido à complexidade dos casos que ali estão. No eixo vermelho fica resguardado o direito de permanência apenas da equipe de profissionais de plantão, dentre eles técnico de enfermagem, enfermeiro (a), médico da urgência, cirurgião e Intensivista do Eixo Vermelho II para realização de procedimentos de emergência.

De acordo com o protocolo seguido pela assessoria de comunicação do Hospital Regional de Cajazeiras, todas as informações sobre os casos de repercussão que chegam à referida casa de saúde, são repassadas a imprensa através de boletim expedido horas depois dos primeiros procedimentos médicos realizados, para que assim, sejam repassadas informações concretas do quadro clinico do paciente em questão.

No tocante a entrada ou permanência de profissionais de imprensa, seja ela impressa, televisionada, falada ou de mídia digital, não se é permitido nos setores restritos de estabelecimentos públicos, principalmente casas de saúde. Vale ressaltar que, o direito de liberdade de imprensa ou o acesso à informação não exclui princípios constitucionais.

A Constituição Federal, em seu Art. 5°, inciso IX, dispõe que “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”. Contudo, prioriza as garantias e direitos fundamentais no mesmo artigo, inciso X, que vem dispor que “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação.

A partir do momento em que o paciente passa a ser responsabilidade do hospital, temos a obrigação de garantir a sua integralidade e preservação de sua imagem. Vale ressaltar que o direito à dignidade é tutelado por nossa Carta Magna no Art 1°, Inciso III. 

A Lei 12.527/2011 de Acesso a Informação torna público e acessível tudo o que não comprometa a dignidade, a intimidade e a paz dos pacientes e familiares, como norma civil de cunho constitucional. Esta gestão se utilizará dos princípios legais do ordenamento jurídico para manter a privacidade dos pacientes, conforme dispõe a Lei.

Todas as informações necessárias para confecção de matéria de cunho jornalístico serão repassadas através assessoria de comunicação do Hospital Regional de Cajazeiras, a todos os profissionais da área, contanto que os mesmos tenham em nosso cadastro seus e-mails e contatos atualizados.

DIÁRIO DO SERTÃO com Assessoria

Tags:

VÍDEO: Psicologia no Ar recebe diretores e psicóloga de organização que promove cidadania em Cajazeiras

NOVIDADES

Xeque-Mate visita lançamento do novo plano da Eletrosorte, que firmou parceria com gigante dos seguros

FUTEBOL DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Dirigentes e ex-jogadores relembram histórias marcantes do Duque de Caxias, que completou 50 anos

VÍDEO: Programa de rádio que é sucesso na região de Campina fecha parceria com emissora de Cajazeiras