header top bar

section content

Na PB, garota de 17 anos relata preconceito por vender picolé na rua e desabafo viraliza na internet

Sempre que acha necessário, Lucyanna Silva expressa o orgulho que tem da profissão. Mas encarar preconceito e machismo nas ruas de Bananeiras ainda é desafio

Por Jocivan Pinheiro

11/11/2018 às 17h00 • atualizado em 11/11/2018 às 17h10

Como a maioria das adolescentes, Lucyanna é vaidosa e gosta de postar fotos nas redes sociais

Ela é jovem, bonita e determinada. Mesmo assim, sofre preconceito por causa do seu trabalho. Seria algo que possa ser visto como ‘vergonhoso’? Não! Muito pelo contrário. A adolescente Lucyanna Silva, de 17 anos, vende picolés nas ruas da cidade de Bananeiras, no Brejo paraibano.

Isso mesmo. A jovem é vendedora de picolés e sempre que acha necessário, expressa o orgulho que tem da profissão. Mas encarar o preconceito e o machismo ainda é um desafio.

VEJA TAMBÉMApós greve dos caminhoneiros, paraibano analfabeto cria moto movida a água que faz 4 mil km por litro

Nas redes sociais, Lucyanna fez um desabafo sobre as ‘piadinhas’ e os ‘dedos apontados’ contra ela enquanto passa com seu carrinho do Picolé da Lúh.

“Faz 3 anos que vendo picolé e ainda tem gente que fica espantado quando falo sobre isso”, diz a jovem. Ela explica que vende picolés para não depender dos pais para comprar o que quer.

“Meninas e até meninos, todo trabalho é digno e nada na sua vida cai do céu. Vocês não precisam trabalhar só se tiverem passando necessidade, até porque eu não passo, mas resolvi sair da asa dos meus pais para poder ter dinheiro e comprar minhas próprias coisas”.

O desabafo repercutiu a seu favor. Até as 16:30 deste domingo (11) haviam 51 mil reações, 782 comentários e 16.896 compartilhamentos da sua postagem no Facebook.

Leia a postagem de Lucyanna na íntegra

PORTAL DIÁRIO

YOUTUBER DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Léo Abreu revela em quais profissões podemos encontrar psicopatas

ESPERANÇA NA POLÍTICA!

VÍDEO: Pastor evangélico fala sobre Bolsonaro: “Ele incorporou o que a sociedade acredita: a família”

ASSISTA!

Arquitetura, urbanismo e direitos humanos marcaram último episódio da temporada do Coisas de Cajazeiras

VÍDEO

Comemorando o dia dos Direitos Humanos, professor fala sobre os avanços da data no Diversidade em Foco