header top bar

section content

Dicas e remédios caseiros para combater o refluxo ácido e sensação de estufamento no estômago

Se você sente uma sensação dolorosa e ardente na garganta ou no peito, conhecida também como azia, então você pode ter refluxo ácido.

Por Cura pela Natureza

02/10/2018 às 08h57 • atualizado em 02/10/2018 às 08h58

Dicas para aliviar esse mal e viver melhor

Se você sente uma sensação dolorosa e ardente na garganta ou no peito, conhecida também como azia, então você pode ter refluxo ácido.

Vômito, mau hálito, erosão dentária e um gosto amargo na parte de trás da boca também fazem parte dos sintomas.

Apesar de muito comum, o refluxo ácido frequente ou prolongado pode evoluir para uma forma mais grave de refluxo, chamada de doença do refluxo gastroesofágico (DRGE).

O refluxo acontece quando a válvula entre o tubo de alimentação e o estômago, conhecida como esfíncter esofágico inferior (EEI), não consegue fechar adequadamente após a ingestão de comida, o que permite que o ácido estomacal vaze para o tubo de alimentação.

Mas calma!

Remédios caseiros simples e mudanças no seu estilo de vida podem ajudar a reduzir ou prevenir o refluxo ácido e a azia.

Confira as dicas:

1. Perca peso

Vários estudos científicos encontraram uma associação entre obesidade e DRGE.

Embora a razão para a associação não seja clara, os pesquisadores acreditam que o aumento da pressão abdominal que ocorre com o ganho de peso pode causar o relaxamento do EEI, resultando no vazamento de ácido do estômago para dentro do tubo de alimentação.

Um estudo realizado em 2013 investigou o efeito da perda de peso na DRGE entre adultos com sobrepeso e obesos.

Dos 332 participantes, 37% relataram ter sintomas de DRGE.

Depois de completar um programa de perda de peso estruturado de seis meses, 65% desses participantes relataram que seus sintomas haviam sido completamente resolvidos.

Outros 15% observaram uma melhora parcial em seus sintomas.

2. Mantenha um diário alimentar

Muitas pessoas relatam que certos alimentos podem provocar refluxo ácido e azia.

Esses gatilhos são diferentes para cada um, mas alguns exemplos comuns incluem: cafeína, café, chocolate, álcool, refrigerante e outras bebidas carbonatadas, alimentos gordurosos, picantes, fritos e salgados, frutas cítricas e sucos, alho, cebola e tomates.

Um estudo de 2014 descobriu que as pessoas com DRGE tendem a apresentar sintomas mais graves após a ingestão de alimentos gordurosos, fritos, picantes ou condimentados.

Alimentos picantes (apimentados) contêm altos níveis de ácido e possuem uma substância química chamada capsaicina.

Alimentos gordurosos contribuem para os sintomas da DRGE ao retardar a digestão no estômago.

Observar os horários das refeições e lanches também pode destacar os padrões alimentares que contribuem para os episódios de refluxo.

Um estudo de 2014 comparou os hábitos alimentares de pessoas com e sem DRGE.

Enquanto todos os participantes costumavam fazer três refeições por dia, aqueles com DRGE pularam com muito mais frequência uma refeição do que aqueles sem o problema.

Os participantes com DRGE também costumavam fazer uma grande refeição noturna em vez de dividir sua ingestão de calorias de forma mais equilibrada entre o almoço e o jantar.

Fique atento: grandes refeições aumentam a quantidade de comida que o estômago precisa digerir, o que pode piorar o refluxo ácido.

Especialistas recomendam comer pelo menos três refeições por dia para prevenir e tratar a DRGE.

Comer quatro ou cinco refeições menores pode ser ainda mais benéfico.

3. Levante a cabeceira da cama

O refluxo ácido pode piorar bastante durante a noite e afetar negativamente o sono de uma pessoa.

Por isso, cientistas alertam para o risco de deitar depois de uma refeição grande: é mais fácil para o conteúdo do estômago fluir de volta para o tubo de comida quando uma pessoa não está em uma posição vertical.

Um pequeno estudo de 2014 investigou se elevar a cabeceira da cama em 20 cm melhoraria os sintomas em 20 pessoas com refluxo noturno.

O resultado surpreendeu: após seis dias de sono na posição levantada, os participantes experimentaram uma redução significativa no refluxo noturno, e 65 por cento também relataram uma diminuição nos distúrbios do sono.

A Fundação Internacional para Desordens Gastrointestinais Funcionais (IFFGD) recomenda que as pessoas que experimentam regularmente refluxo noturno tentem inserir uma cunha triangular sob a cabeceira da cama.

Essa elevação deve manter o tubo de comida erguido acima do estômago durante o sono.

4. Evite comer perto da hora de dormir

Pesquisadores descobriram que fazer refeições mais próximo da hora de dormir aumenta os sintomas da DRGE.

De acordo com o IFFGD, a produção de ácido no estômago é maior durante as primeiras três horas após a ingestão.

5. Limite o consumo de álcool

De acordo com o IFFGD, o álcool causa azia porque irrita os tecidos que revestem o esôfago, interfere com o funcionamento adequado do EEI, aumenta a produção de ácido do estômago.

6. Pare de fumar

O tabagismo interfere com o funcionamento adequado do EEI e torna a saliva menos eficaz em neutralizar o ácido estomacal.

Deixar de fumar pode levar a uma diminuição da DRGE grave, mas apenas em indivíduos com peso saudável.

Pessoas com excesso de peso ou obesos não apresentam a mesma redução nos sintomas.

Se você apresentar sintomas como dor no peito ao realizar uma atividade, perda de peso inexplicada, engasgo ao comer ou dificuldade em engolir alimentos e líquidos, vomitar sangue ou uma substância que se assemelhe à borra de café e fezes vermelhas ou pretas procure um médico imediatamente.

Remédios caseiros

1. Babosa

Esta planta alivia a irritação dos tecidos e inflamações.

Pegue um pouco do gel e misture no suco de maçã ou de pera.

Esta mistura ajuda a reduzir os sintomas causados pelo refluxo ácido.

Atenção: não consuma a casca, pois ela é um laxante muito forte.

2. Água de limão

O limão não é ácido e, portanto, prejudicial a quem tem refluxo?

Muito pelo contrário.

O ácido cítrico do limão neutraliza a acidez, alcalinizando levemente o pH.

Em um ambiente levemente alcalino ocorre a dificuldade para a presença de bactérias, ou seja, o ácido cítrico acumula a função de ser um antibiótico natural.

O limão funciona também como um cicatrizante das mucosas agredidas pela acidez.

Além disso, o suco natural e fresco do limão dissolve gorduras e evita a formação de gases, um dos sintomas do refluxo esofágico.

O tratamento com limão é simples.

Tome meio copo de água morna com o suco fresco de um limão 30 minutos depois do café da manhã.

Faça o mesmo 30 minutos depois do almoço e 30 minutos depois do jantar.

Fonte: https://www.curapelanatureza.com.br/post/10/2018/dicas-e-remedios-caseiros-para-combater-o-refluxo-acido

AÇÃO SOCIAL

VÍDEO: Igreja evangélica distribui alimentos e roupas para famílias carentes em bairro de Cajazeiras

CRIANÇADA NA PRAÇA

VÍDEO: Festa do Dia das Crianças com brindes, música e teatro atrai multidão na cidade de Monte Horebe

DIA DOS PROFESSORES

VÍDEO: Prefeito grava mensagem para os professores da ‘cidade educadora’: “Ensinar é transformar vidas”

MÊS ESPECIAL

VÍDEO: Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Cajazeiras encerra festa neste sábado com mensagem de paz