header top bar

section content

França diz que vacinação contra a Covid-19 será gratuita e poderá começar em janeiro

Vacina da Pfizer pode começar a ser aplicada se for eficaz e segura

Por SHOW DIÁRIO com Agência Brasil

17/11/2020 às 10h45

Vacina para a Covid-19 (Foto: Reuters / Dado Ruvic)

O ministro da Saúde da França, Olivier Véran, disse nesta terça-feira (17) que se a vacina da Pfizer contra o novo coronavírus for eficaz e segura, a vacinação no país será gratuita e deverá começar no início do próximo ano.

“Se forem validadas, teremos as primeiras vacinas no início do ano”, explicou Véran, em entrevista ao canal BFMTV, acrescentando estar confiante de que a Pfizer e sua parceira BioNtech transmitirão às agências de saúde todos os dados experimentais “até daqui a três semanas”, para serem examinados.

O ministro também lembrou que a Comissão Europeia já fez uma pré-encomenda, que implica o equivalente a cerca de 30 milhões de doses para a França, e que a administração das vacinas será gratuita, assim como os testes de detecção de covid-19.

Olivier Véran recusou-se a avançar com datas para a reabertura do comércio e a comentar informações divulgadas por alguns meios de comunicação, que indicam que o governo analisa a hipótese de manter os bares e restaurantes fechados até meados de janeiro.

“Queremos reabrir as lojas em boas condições para não termos de as fechar novamente”, disse, recusando repetidamente apontar datas concretas.

O ministro da Agricultura, Julien Denormandie, avançou, entretanto, em entrevista à Rádio RMC, que vai ser autorizada, a partir da próxima sexta-feira (20), a venda de árvores de Natal, mas apenas em espaços abertos.

A França está em regime de confinamento domiciliar desde 30 de outubro, devendo a condição durar até, pelo menos, 1º de dezembro, mas o governo já avisou que algumas restrições serão mantidas além dessa data, continuando a ser obrigatório utilizar documentos de autorização para fazer viagens e mantendo-se o fechamento de bares e restaurantes.

A França contabiliza cerca de 45 mil mortos devido à covid-19 desde o início da pandemia e, apesar de os indicadores de disseminação do vírus estarem melhorando no país, o primeiro-ministro sinalizou, na segunda-feira, a vários líderes religiosos que as celebrações só devem voltar a ser autorizadas a partir de 1º de dezembro.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.319.561 mortos, resultantes de mais de 54,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo balanço da agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no fim de dezembro de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

ENCORAJAMENTO

VÍDEO: Palestrante fala dos desafios e de como se motivar em época de pandemia

MISSÃO

VÍDEO: Missionária da comunidade Boa Nova comemora três anos da casa de acolhimento em Cajazeiras

ESPETÁCULO DA NATUREZA

VÍDEO: Por do sol de Monte Horebe chama atenção de internautas e vídeo bomba nas rede sociais

SÃO PAULO

VÍDEO: Jornalista fala sobre as eleições da maior metrópole da América Latina

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!