header top bar

section content

Brasil melhora no quadro de medalhas, mas meta do COB segue distante

Objetivo do Comitê é terminar entre os 10 países mais bem colocados no ranking

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

15/08/2016 às 08h07

Nory e Hyploito garantiram duas medalhas para o Brasil (Foto: Daniel Teixeira / Estadão Conteúdo)

A meta é clara. O objetivo do COB (Comitê Olímpico do Brasil) é terminar as Olimpíadas do Rio entre os 10 países mais bem colocados no quadro de medalhas. O número para isso varia entre 23 e 24 pódios. Se na primeira semana o desempenho dos atletas ficou devendo neste quesito, com apenas quatro medalhas conquistadas (uma no tiro esportivo e três no judô), no início da reta final dos Jogos Olímpicos a situação melhorou bastante.

Neste domingo (14) vieram duas medalhas da ginástica artística, com a prata e o bronze para Diego Hypolito e Arthur Nory no solo, e uma terceira, do boxe, já está garantida com a belíssima classificação de Robson Conceição para a final dos pesos leve – na terça-feira (16) ele decidirá se ela será de ouro ou de prata.

Confira o quadro de medalhas da Rio 2016

Esta segunda promete mais conquistas, e novamente da ginástica. Atual campeão olímpico nas argolas, Arthur Zanetti defenderá o título às 14h. Nas eliminatórias, o brasileiro usou a tática de apresentar uma série simples, terminou em quinto e assim será o último a realizar o movimento na grande decisão.

Zanetti subirá ao tablado minutos antes de Flávia Saraiva, classificada na final da trave, com boas chances de medalha, mas com a difícil missão de superar adversárias como Simone Biles, Sanne Wevers e Lauren Hernandez.

Para seguir vivo em seu objetivo de medalhas, o Time Brasil conta também com uma possível medalha da maratona aquática feminina que acontece às 9h. A baiana Ana Marcela Cunha chega para a prova na melhor fase de sua carreira e terá a companhia de Poliana Okimoto nas águas de Copacabana. Boas chances para ambas.

Veja a seguir em quais modalidades o Brasil segue com chances de pódio. Vale ressaltar que surpresas ainda podem e devem acontecer para o objetivo de 23 medalhas ser alcançado:

Atletismo – Fabiana Murer (salto com vara)
Basquete – Masculino
Boxe – Robson Conceição (até 60 kg)
Canoagem – Isaquias Queiroz (C1 1000 m)
Futebol – Masculino
Futebol – Feminino
Ginástica artística – Arthur Zanetti (argolas)
Ginástica artística – Flávia Saraiva (trave)
Handebol – Feminino
Luta Olímpica – Aline Silva (até 75 kg)
Maratona Aquática – Ana Marcela Cunha
Maratona Aquática – Allan do Carmo
Vela – Martine Grael e Kahena Kunze (49er FX)
Vôlei – Feminino
Vôlei – Masculino
Vôlei de Praia – Agatha/Bárbara
Vôlei de Praia – Larissa/Talita
Vôlei de Praia – Alison/Bruno Schmidt

R7

"AQUI NESSA MESA DE BAR"

VÍDEO: Homenagem a garçons de Cajazeiras no programa Xeque-Mate tem música, drinks e boas histórias

SAÚDE E BEM-ESTAR

VÍDEO: Sangramento nas regiões do reto e do ânus pode ser sinal de doença grave, avisa médico

APOIO DE CRAQUE

VÍDEO: Embaixador do Campeonato Paraibano, Hulk diz que está à disposição para ajudar clubes do Sertão

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS

VÍDEO: Para advogado da OAB de Cajazeiras, investir em presídios e não em escolas é ‘enxugar gelo’