header top bar

section content

Musa se derrete para Romário e fãs vão a loucura: “Monstro”

Namorada “cantou” o senador no Instagram: “O melhor! Ahhh se me desse mole…”

Por Luzia de Sousa

27/05/2017 às 18h45 • atualizado em 27/05/2017 às 18h51

Aos 50 anos, o senador Romário tem arrancado suspiros. Recentemente, ele postou uma foto no seu Instagram em que aparece de terno trabalhando em Brasília. A namorada Érica Cyriaco, com quem assumiu o relacionamento no começo deste ano, logo brincou. “O melhor!!!! Ahhh se me desse mole…”. Romário, conhecido por ser sedutor e desfilar com muitas beldades, retribuiu: “@ericacyriaco pq não? kkk.”

Os fãs homens de Romário curtiram a atitude do senador. “Ainda está marcando muitos gols”, escreveu um deles. “O Baixinho é rei”, postou mais um. “Monstro”, disse outro.

Érica tem 30 anos, 20 a menos que o senador. O Baixinho tem chamado a atenção por estar bem mais magro. Romário é dos dos maiores atacantes da história do futebol mundial, craque da Copa de 1994 e reconhecido como o melhor jogador do mundo naquele ano. Está no sexto ano como senador pelo Rio de Janeiro.

Em janeiro deste ano, o senador chamou a atenção ao postar uma foto com aparência esquálida e muito mais magro nas redes sociais. Em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, Romário explicou que fez uma cirurgia bariátrica para controlar a diabetes.

O procedimento realizado é uma espécie de cirurgia bariátrica, na qual parte do estômago é reduzido. Intitulada de “gastrectomia vertical com interposição ileal”, a técnica é controversa e considerada “experimental” pelo Conselho Federal de Medicina.

Metrópoles

Tags:
"AQUI NESSA MESA DE BAR"

VÍDEO: Homenagem a garçons de Cajazeiras no programa Xeque-Mate tem música, drinks e boas histórias

SAÚDE E BEM-ESTAR

VÍDEO: Sangramento nas regiões do reto e do ânus pode ser sinal de doença grave, avisa médico

APOIO DE CRAQUE

VÍDEO: Embaixador do Campeonato Paraibano, Hulk diz que está à disposição para ajudar clubes do Sertão

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS

VÍDEO: Para advogado da OAB de Cajazeiras, investir em presídios e não em escolas é ‘enxugar gelo’