header top bar

string(16) "diario-esportivo"

section content

Mancha Azul está proibida temporariamente de acompanhar time em jogos nos estádios da PB

Apesar de o diretor não ter citado nomes de nenhuma torcida organizada na sua denúncia, a Mancha Azul se manifestou na sua página no Facebook

Por

06/02/2016 às 14h15

vEssa medida é preventiva e a torcida organizada poderá recorrer da decisão

Foi publicado no dia de ontem, sexta-feira (05) pela Comissão Permanente de Prevenção e Combate a Violência nos Estadios da Paraiba, uma medida educativa onde barra temporariamente a torcida organizada do Atlético de Cajazeiras Mancha Azul, de assistir partidas nos estádios de futebol em todo o território nacional.

Tudo começou por causa das acusações de vandalismo no estadío Perpetão, segundo a torcida, um pedaço do alambrando cedeu por causa de comemoração no estilo “avalanche” após o gol.

Segundo o diretor do Perpetão, Luiz Barroso, uma das catracas de acesso ao estádio quase foi arrancada, parte do alambrado foi quebrado e um grupo de torcedores teria tentado invadir o estádio arrombando um dos portões.

Apesar de o diretor não ter citado nomes de nenhuma torcida organizada na sua denúncia, a Mancha Azul se manifestou na sua página no Facebook negando que tenha havido vandalismo.

Veja ambém!

Mancha Azul rebate acusação de vandalismo no estádio Perpetão durante Atletiba

Os torcedores poderam acompanhar o seu time do coração nos estádios, desde que não se organizem com camisetas, bandeiras, faixas e outros objetos que identifiquem a Mancha Azul.

Essa medida é preventiva e a torcida organizada poderá recorrer da decisão.

DIÁRIO DO SERTÃO 

Tags:
HERANÇA ARTÍSTICA

VÍDEO: Filho de grande nome da música brasileira agita a Festa do Brega no Cajazeiras Tênis Clube

EM JOÃO PESSOA

VÍDEO E FOTOS: Posse da nova diretoria da API é marcada por repentes, lançamento de livro e emoção

DUPLA CERIMÔNIA

VÍDEO: OAB lança em Cajazeiras as chapas para as eleições da Seccional Paraíba e da Subseção local

EX-ALIADO

VÍDEO: Vereador revela que defender professores foi a ‘bomba’ que iniciou rompimento com José Aldemir