header top bar

section content

Coligação entra com AIJE por uso de policiais na campanha de Ricardo

Ação é motivada pelo ato de abuso de poder cometido por policiais civis e militares, acompanhado por secretários de Estado

Por

26/10/2014 às 12h20

Coligação entra com AIJE por uso de policiais

A coligação A Vontade do Povo vai entrar com representação junto à Procuradoria Regional Eleitoral pedindo apuração rigorosa do uso das polícias militar e civil em favor da candidatura a reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB).  A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) foi motivada pelo ato de abuso de poder cometido por policiais civis e militares, acompanhado por secretários de Estado, na manhã desse sábado (25), no núcleo de produção e de atividade jurídica, localizado às margens da BR 230, em Cabedelo.

“Nunca vi algo igual, a utilização da força pública em favor de uma candidatura para agredir advogados, constranger coligação e tentar criar um fato político. É lamentável que tamanho abuso de poder e da máquina pública seja usada de forma escancarada e sem o mínimo o constragimento. Exigimos uma apuração rigorosa”, afirmou o coordenador jurídico da coligação  A Vontade do Povo, Harrison Targino.

Na manhã do último sábado (25), homens da Polícia Militar e Civil tentaram invadir o núcleo de trabalho da campanha do candidato Cássio Cunha Lima, alegando averiguação de uma suposta denúncia anônima. O episódio teve como plateia dezenas de cabos eleitorais governistas e até de secretários de Estado, como Luís Torres, da Comunicação; Márcia Lucena, da Educação; Cida Ramos, do Desenvolvimento Social; além do presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas, e do secretário adjunto da Comunicação licenciado, Célio Alves.

Os policiais cercaram o prédio, revistaram carros de advogados e de funcionários da produtora, que foram constrangidos, coagidos e até agredidos verbalmente, com palavras chulas e grosseiras.

O fato foi denunciado no plenário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB) por Harrison Targino, durante sessão extraordinária deste sábado. Imediatamente o presidente da Corte, desembargador Saulo Benevides, acionou o juiz da Comarca de Cabedelo, Paulo Oliveira Lima, acompanhado da promotora Anne Emanuelle Malheiros Costa Y Plá Trevas para verificarem a tentativa de abuso de poder por parte da polícia. 

Já no local, o magistrado determinou que os agentes da polícia civil que estavam de espreita e os policiais militares que tentaram invadir o comitê sem mandado fossem encaminhados a Polícia Federal para prestar esclarecimentos e, em seguida, ordenou que os agentes da PF retirassem do local todos os cabos eleitorais da coligação do governador e seus secretários.

Reincidente  – Essa não foi a primeira vez que a polícia foi usada para beneficiar a campanha de Ricardo Coutinho. Vários fatos já foram denunciados à Justiça Eleitoral, inclusive por parte de magistrados que tiveram que recorrer à Polícia Federal para garantir a equidade do pleito em diversas cidades do Estado.

Assessoria

Tags:

Recomendado para você pelo google

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Após fazerem as ‘pazes’, Jeová e Júnior vão dividir cargos na saúde com Estela, diz comentarista

ECOTROTE

VÍDEO/FOTOS: Trote diferente da Faculdade Santa Maria conscientiza novatos a cuidarem do meio ambiente

QUE VENHA MAIS!

VÍDEO! Sousa registrou maior chuva da Paraíba em 2019 e açude São Gonçalo aumenta 61 centímetros

SONHO REALIZADO

VÍDEO/FOTOS: Prefeitura de Cajazeiras realiza sorteio de 300 apartamentos e evento é marcado pela emoção