header top bar

section content

Quase nua, Drag queen faz dança sensual para crianças de escola pública no Nordeste

Natha Sympson participou de projeto escolar sobre identidade de gênero

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

06/12/2017 às 08h59

Drag queen faz dança sensual para crianças de escola pública

A presença de uma drag queen no Colégio Estadual Odorico Tavares, em Salvador (BA) está levantando novamente o debate sobre os limites na erotização de crianças no Brasil.

Natha Sympson iniciou sua apresentação usando um vestido, mas foi se despindo até ficar com apenas um collant e um espécie de biquíni. Sua dança sensual diante dos alunos foi filmada e postada nas redes sociais.

Denominando a si mesmo como “A drag mais quente de Salvador”, Natha esteve na escola pública a convite de Luciana Senna, diretora da unidade. Segundo ela, a dança era parte de um projeto de “identidade de gênero e sexualidade”.

No material disponibilizado por ele mesmo no Facebook, é possível ver crianças e adolescentes assistindo à performance e cantando juntos a trilha sonora de Pabblo Vittar e Anitta.

“Fico feliz em saber que a arte drag queen tá invadindo tudo, com muito amor e carinho. E que tá tudo bem ser LGBT e afeminada”, escreveu ela na postagem.

Obviamente, as cenas renderam críticas nas redes sociais, mas há quem defenda a “liberdade”. O vídeo é um contraste claro com outra apresentação em escola pública divulgado essa semana. Dois policiais militares cantaram uma música de louvor em uma escola pública do Paraná e foram acusados de “impor” religião sobre os alunos.

Gospel Prime com informações Gazeta do Povo

Tags:
PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Saiba como descobrir sua vocação profissional e ser bem-sucedido da universidade ao trabalho

NO PROGRAMA OLHO VIVO

VÍDEO: Com doença grave, homem faz apelo à 9ª Regional de Saúde em Cajazeiras por medicamento atrasado

QUATRO DIAS DE EVENTOS

VÍDEO: Secretário convida população para o Arte Agosto, que começa hoje em Cajazeiras; veja programação!

DIA 20 DE SETEMBRO

VÍDEO: Professor pede que o povo fique de olho em quem vem só ‘vender o peixe’ no debate de Cajazeiras