Cidades
19/10/2016 às 14h16 • atualizado em 19/10/2016 às 14h24

postado por: C. Campelo

Após denúncias, secretária de saúde divulga nota de esclarecimento e afirma que UPA, PSF e SAMU de São Gonçalo estão funcionando, mas alega falta de recursos

Zenildo denunciou fechamento de postos de saúde, falou da falta de médicos na UPA e disse que a base do SAMU de São Gonçalo está fechada. Veja aqui!

Noêmia Gadelha, secretária de saúde (foto: Charley Garrido)

A secretária de saúde do município de Sousa, Noêmia Gadelha, divulgou nota de esclarecimento sobre as denuncias feitas pelo empresário e vice-prefeito eleito, Zenildo Oliveira (PSD).

Zenildo denunciou o fechamento de 18 postos de saúde, falta de médicos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o lixo espalhado pelos bairros da cidade.

Descaso no SAMU
Zenildo também denunciou que a Base descentralizada do SAMU localizada em São Gonçalo está fechada por falta de ambulância e que a Central do SAMU em Sousa possui apenas uma telefonista para atender as ligações de emergência através do número 192. Ele disse ainda que houve a redução do quadro de condutores de ambulâncias.

Veja também:
Vice-prefeito eleito denuncia: “Fechou postos de saúde e o SAMU em São Gonçalo”

“O atendimento do SAMU atualmente está comprometido, esse serviço não pertence a André Gadelha, pertence ao povo, é um descaso com esse serviço que não pode parar”, destacou.

Nota de esclarecimento
Em face à declarações divulgadas no Site Diário do Sertão nesta quarta-feira (19/10), a Secretaria Municipal de Saúde informa o seguinte:

1. As 26 Unidades de Saúde da Família encontram-se abertas realizando atendimento normalmente nos horários de funcionamento;

2. A Base Descentralizada do SAMU 192 localizada em São Gonçalo está funcionando também normalmente conforme consta nos livros de registro de ocorrências.

3. A UPA 24 horas continua realizando seus atendimentos diariamente, bem como o SAMU 192 .

Necessário se faz informar que os repasses financeiros de competência do Estado referentes ao SAMU 192 e a Farmácia Básica estão com 08 (oito) meses de atraso, resultando em prejuízos no tocante ao cumprimento da folha de pagamento dos servidores contratados que desempenham suas funções nos serviços bem como no fornecimento de medicamentos à população.
Nada mais havendo a tratar, esta Secretaria se disponibiliza para quaisquer outros esclarecimentos.

Noêmia Rachel de Araújo Gadelha

Secretária de Saúde

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe seu comentário