header top bar

section content

Atleta das Paraolimpíadas pedirá eutanásia após competir no Rio: ‘ninguém vê o lado obscuro da minha doença’

A eutanásia é permitida na Bélgica desde desde 2002 para doentes incuráveis que sofrem de sofrimentos físico e psíquico insuportáveis.

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

08/08/2016 às 12h59

Após competir, atleta pedirá eutanásia (Foto: New adVentures, Lda.)

Em 2008, a belga Marieke Vervoort foi diagnosticada com uma síndrome degenerativa que paralisa suas pernas e provoca desmaios ao longo do dia. À época, ela era bicampeã mundial de triathlon e já havia competido no Ironman.

Após a detecção do problema, já em cadeira de rodas, Marieke ganhou três medalhas em Londres-2012 – ouro nos 100 metros rasos em cadeira de rodas e prata nos 200 e nos 400 metros – e também bateu os recordes mundiais dos 400, 800, 1.500 e 5 mil metros rasos.

Após os Jogos do Rio, Marieke pedirá eutanásia por não suportar mais todas as dores que sente, os desmaios, a degeneração das pernas e o fato de a síndrome não a deixar dormir por mais de dez minutos por noite.

“Todo mundo me vê com a medalha de ouro, mas ninguém vê o lado obscuro. O Rio é meu último desejo, espero acabar minha carreira com um pódio. Quero que todos tenham uma taça de champanhe na mão e um pensamento feliz para mim”, contou ao jornal Le Parisien.

A eutanásia é permitida na Bélgica desde desde 2002 para doentes incuráveis que sofrem de sofrimentos físico e psíquico insuportáveis.

Esporte ao Minuto

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan