header top bar

section content

Acusada de assassinar jovem com facada em bar de Cajazeiras é absolvida e liberada

Advogado de defesa confirmou que a jovem foi absolvida porque o júri aceitou a alegação de legítima defesa

Por Jocivan Pinheiro

13/11/2016 às 13h06 • atualizado em 13/11/2016 às 13h11

Vítima Juliana Aparecida de Sousa (Foto: arquivo pessoal)

Na última sexta-feira (11) aconteceu o julgamento da jovem de 20 anos acusada de assassinar com um golpe de faca a estudante Juliana Aparecida de Sousa, 18 anos, durante uma discussão na antigo bar Palhoça do Serafim, na zona norte de Cajazeiras.

Por 4 votos contra 1, a acusada foi inocentada e solta ainda na sexta. Ela estava presa na Cadeia Pública Feminina de Cajazeiras desde o dia do crime, aguardando julgamento.

VEJA TAMBÉM: Emocionado, comerciante explica decisão de fechar a Palhoça do Serafim após homicídio

Em conversa com nossa reportagem, Joselito Feitosa, que foi um dos advogados de defesa, confirmou que a jovem foi absolvida porque o júri aceitou a alegação de que o assassinato foi legítima defesa. O Ministério Público ainda pode recorrer da sentença.

O crime aconteceu na noite do dia 24 de janeiro deste ano, um domingo, quando acusada e vítima estavam bebendo no bar e começaram a discutir, até que a acusada desferiu uma facada no pescoço da vítima. Ela foi socorrida ainda com vida para o hospital, mas faleceu minutos depois. Segundo informações de pessoas próximas, já existia uma rixa antiga entre as duas garotas.

DIÁRIO DO SERTÃO

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com o Ministério de Louvor: Fonte de água da vida

SAÚDE MENTAL

VÍDEO: “Psicologia no Ar” reestreia na TV debatendo as dúvidas e estereótipos que os psicólogos carregam

ENTREVISTA

VÍDEO: Com demonstrações ao vivo, fisioterapeuta cajazeirense explica como funciona a Quiropraxia

VÍDEO!

CONTRA MÃO: Aliado do prefeito de Cajazeiras critica políticos de Brasília, mas admite votar em “golpista”