header top bar

section content

Polícia investiga adolescente suspeito de capturar e praticar maus tratos a animais

Na delegacia, ele confessou a prática de subtrair os animais e depois submetê-los a um ritual, usando velas e fogo.

Por Priscila Belmont

16/02/2017 às 08h45

De acordo com a denúncia, o acusado quando encontra um animal fêmea e em período gestacional ele retira os filhotes, esquarteja e queima os animais (Foto Ilustrativa)

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia do Meio Ambiente de João Pessoa, ouviu, na manhã desta quarta-feira (15), um adolescente de 17 anos, suspeito de subtrair animais domésticos e praticar maus tratos contra eles, como ferimentos e mutilações. O fato estaria acontecendo no bairro do Rangel, na Zona Oeste de João Pessoa.

As investigações tiveram início depois de uma denúncia registrada na delegacia. “Fomos informados que um adolescente estava capturando animais durante a madrugada e para não ser reconhecido ele saía pelas ruas do bairro usando uma máscara. A suspeita era de que ele estaria sacrificando os animais em rituais de magia negra. O denunciante também relatou que quando o investigado encontra um animal fêmea e em período gestacional ele retira os filhotes, esquarteja e queima os animais”, disse o delegado do Meio Ambiente, Ragner Magalhães.

A testemunha ainda afirmou que nos últimos meses vários animais morreram e desaparecem nas proximidades da residência do investigado, levantando a suspeita de que o adolescente é o responsável pelos maus tratos. Como ele não demonstra nenhuma reação ao ser questionado sobre o assunto, os moradores do bairro acreditam que o jovem possa ter alguma doença mental. A partir das informações, foram realizadas várias diligências para descobrir o endereço do adolescente e esclarecer se o fato era verdade. A residência foi encontrada e o adolescente foi encaminhado para a delegacia com os pais.

Na delegacia, ele confessou a prática de subtrair os animais e depois submetê-los a um ritual, usando velas e fogo. O adolescente disse que já matou mais de 75 gatos e que aprendeu a ‘técnica’ durante uma pesquisa na internet. Ele também falou que sacrifica os animais porque sente prazer vendo a morte deles. Por ser adolescente, assim que as diligências forem concluídas, o caso será encaminhado para a Delegacia da Infância e Juventude da Capital, que vai finalizar o procedimento e remeter para a Justiça.

A autoridade policial informou que o adolescente vai responder pelo ato infracional praticado, nos termos do Art. 32, 2º, da Lei de Crimes Ambientais, que consiste em praticar ato de abuso, maus tratos, ferir ou mutilar animais domésticos, além da pena ser aumentada de um sexto a um terço, por causa da morte do animal.
Área de anexos

Secom

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis