header top bar

section content

VÍDEO: Importante liderança do PSD nega apoio a Luciano Cartaxo e diz que o melhor nome para Paraíba é João Azevedo

“Sousa pode sim pleitear uma vaga dessa tão importante e de grande orgulho para qualquer paraibano”. Disse o político.

Por Luzia de Sousa

05/02/2018 às 11h19 • atualizado em 05/02/2018 às 11h48

O vice-prefeito da cidade de Sousa, Zenildo Oliveira (PSD), em entrevista ao Caldeirão Político da TV Diário do Sertão, rasgou elogios nesse final de semana, ao pré-candidato ao Governo da Paraíba, apoiado pelo governador, o secretário João Azevêdo (PSB).

VEJA MAIS NOTÍCIAS DE SOUSA

Do mesmo partido do também candidato ao Governo pela oposição, o prefeito da cidade de João Pessoa, Luciano Cartaxo, o político também elogiou a gestão de Ricardo Coutinho.

Zenildo revelou que recebeu convite para compor chapa majoritária com João Azevêdo.

“Até envaidecido e orgulhoso de ser lembrado para compor a chapa, nada menos do que um homem sério, um homem que tenho certeza que vai ajudar a Paraíba a continuar no ritmo de crescimento que estamos hoje com Ricardo Coutinho, que é o secretário João Azevêdo. Ser vice de um homem desse é um orgulho pra qualquer um”. Declarou Zenildo Oliveira.

Ele disse que o Sertão deveria reivindicar uma representação maior na política da Paraíba. “Sousa pode sim pleitear uma vaga dessa tão importante e de grande orgulho para qualquer paraibano”.

Nos bastidores, Zenildo tem defendido que Rômulo Gouveia, presidente do seu partido, possa ser candidato ao Senado na chapa de João Azevedo.

DIÁRIO DO SERTÃO

PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Saiba como descobrir sua vocação profissional e ser bem-sucedido da universidade ao trabalho

NO PROGRAMA OLHO VIVO

VÍDEO: Com doença grave, homem faz apelo à 9ª Regional de Saúde em Cajazeiras por medicamento atrasado

QUATRO DIAS DE EVENTOS

VÍDEO: Secretário convida população para o Arte Agosto, que começa hoje em Cajazeiras; veja programação!

DIA 20 DE SETEMBRO

VÍDEO: Professor pede que o povo fique de olho em quem vem só ‘vender o peixe’ no debate de Cajazeiras