header top bar

section content

Em resposta a possível revisão do plano, sindicalistas declaram ‘guerra’ a prefeitura

"O que fizeram com a saúde foi massacrar, pisar. Retirar o direito deles”, adiantando que não tem mais diálogo com a prefeita Denise Albuquerque (PSB).

Por

19/01/2016 às 18h26

A presidente do Sindicado dos Funcionários Municipais de Cajazeiras (SINFUMC), Elinete Lourenço, em participação ao Olho Vivo da TV Diário do Sertão nesta terça-feira (19), se reportou ao aumento do novo piso salarial dos professores, acrescentando que a prefeitura de Cajazeiras teria anunciado que não tem como honrar o compromisso com a categoria.

Veja mais!

► Vídeo: Mesmo com aumento de R$ 300 mil, secretária de Cajazeiras prevê revisão de salário

A sindicalista alertou que não vai admitir que o poder público faça alterações no plano de cargos do município e justificou: “Não vão fazer como fizeram com a saúde, que tiraram a data base e há quatro anos essa categoria tem direito sequer ao reajuste do mínimo. Nosso plano é nossa Bíblia”.

As declarações de Elinete Lourenço foram motivadas após entrevista da secretária de Fazenda Pública, Josefa Vanóbia afirmar que a prefeitura está em dificuldades e prevê alterações no plano salarial de Cajazeiras. 

Segundo a sindicalista, caso a prefeitura não implante o novo piso, o ano letivo não será iniciado, pois a categoria irá declarar greve. “Temos uma arma muito forte, não iniciaremos o ano letivo. Vamos fazer greve”.

Ela também denunciou que as escolas contempladas com a climatização, emenda do deputado Jeová Campos, ainda não foram implantados os equipamentos e alertou: “Temos sérios problemas com a qualidade da educação de Cajazeiras. Desse jeito o Ideb não vai sair do canto”.

Elinete disse ainda que não se reduz direitos, mas se amplia e disparou: "O que fizeram com a  saúde foi massacrar, pisar. Retirar o direito deles”, adiantando que não tem mais diálogo com a prefeita Denise Albuquerque (PSB).

E mais
O tesoureiro do sindicato, o professor Francisco das Neves assegurou que o aumento do piso não terá um grande impacto nos cofres do município. Ele também contestou as declarações da secretária municipal e disparou: “Isso é uma piada de mal gosto”.

Das Neves como é conhecido na cidade ironizou: “Se instalar o Banco Central aqui ainda vão dizer que falta dinheiro”, atestando que os recursos são suficientes para a prefeitura honrar como o piso e mando recado: “Quem quiser ter problema é só mexer no nosso plano”.

DIÁRIO DO SERTÃO

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan