header top bar

José Antonio

section content

Gratidão e agradecimento

18/01/2019 às 09h38

Quando o governador Ricardo Coutinho esteve em nossa cidade, no último dia 28 de dezembro de 2018, para entregar a Central de Polícia de Cajazeiras, além das Delegacias Seccional, da Mulher e do Grupo Tático Especial, fiz questão de está presente, não só para testemunhar a inauguração da última obra concluída do seu governo, mas especialmente para abraçá-lo e agradecer por outras que plantou no solo do nosso município, ao longo dos oito anos de suas operosas gestões.

Quando do seu primeiro mandato as relações político partidárias entre Ricardo e o prefeito Carlos Rafael não eram tão amistosas, mas Cajazeiras não poderia deixar de ser olhada e contemplada, foi então que o grupo denominado “Movimento dos Amigos de Cajazeiras (MAC), do qual fiz parte, por diversas vezes atravessou os umbrais do Palácio da Redenção para apresentar a Ricardo uma “Agenda Positiva” com as principais demandas do nosso município.

Foi durante estes encontros e os da sua campanha para o governo do estado que aprendi a admirar o homem público e o cidadão Ricardo Coutinho. A campanha foi vitoriosa. Surgiu na Paraíba um novo estilo de gestão. Foram criadas as plenárias do Orçamento Democrático e em algumas me fiz porta voz do “Movimento dos Amigos de Cajazeiras”.

Nos ODs era o encontro do governo com o povo, com o coletivo, com os anseios das comunidades e foram estes encontros que deram a Ricardo a oportunidade de saber o que o povo dos confins e dos grotões da Paraíba precisava e ao longo do tempo as vozes sequiosas do povo começaram a ser ouvidas e daí surgiu o fim do isolamento com as estradas asfaltadas e em especial para Cajazeiras: a água jorrando nas torneiras, o saneamento básico, o som de um violino do aluno do Prima, a casa da cidadania, uma estrada chamada de “amor”, uma “escola cidadã” que educa para o futuro, um hospital que deixou de ser uma “máquina para fazer votos”, um aeroporto para que a cidade pudesse voltar a voar e as construções do IML e do DETRAN cujas obras se encontram bastantes avançadas.

A História, com certeza, vai lhe julgar como um dos governadores que mais fez por Cajazeiras e que sempre teve um olhar de preocupação com o futuro da sua juventude. Infelizmente não tenho dados estatísticos para servir de análise do crescimento dos números de funcionários estaduais e das folhas de pagamentos e do que foi investido em obras e serviços focando somente o município de Cajazeiras, mas sem dúvidas posso afirmar que ao longo dos últimos oito anos eles foram crescentes e tiveram um percentual representativo na economia da cidade.

Desde quando ele esteve em Cajazeiras pela primeira vez como possível candidato a governador que passei a ter um conhecimento melhor dele e a minha admiração pelo homem público foi se ampliando e este relacionamento foi se estreitando, ao ponto de forma eminentemente republicana, ele ter defendido o meu nome como candidato a vice-prefeito de Cajazeiras, em 2016, na chapa da Dra. Denise, mesmo sem eu pertencer ao PSB, fato político, cujas nuances e detalhes serão narrados num futuro não tão próximo: ainda não é tempo de torná-los públicos, sob a minha ótica e análise.

Muito embora eu tenha duas empresas de comunicação que prestaram serviços ao seu governo, jamais me dirigi ao mesmo para pedir benesses, muito pelo contrário, sempre foi divulgadas as ações de seu governo muito além dos contratos que eram acordados entre as agências, talvez, este fato tenha servido de parâmetro entre nós para que pudéssemos sempre nutrir admiração e respeito.

Nunca me deixou sem respostas os questionamentos e cobranças que fiz em defesa de Cajazeiras, principalmente sobre a conclusão e homologação do aeroporto, obra que sempre achei da maior importância para a nossa cidade e as insistências foram tantas, que vi minha luta ser premiada ao receber o convite, para em sua companhia, participar de um vôo entre João Pessoa e Cajazeiras, no que foi considerado o primeiro vôo oficial, depois da homologação do aeroporto, e nesta ocasião falei em nome do povo de Cajazeiras, o que muito me honrou.

Bem, Ricardo fez com que nos orgulhássemos cada vez mais de sermos paraibanos, estado pobre, muito pobre, mas cada vez mais altivo e forte, aonde o dinheiro do povo mereceu muito respeito e foi distribuído entre os que mais necessitavam da presença do estado.

Hoje sem a caneta na mão me sinto muito a vontade em reconhecer o seu valor como homem público e de aplaudi-lo como cidadão e político.

Cajazeiras será eternamente grata a você Ricardo.

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br

Recomendado para você pelo google

HOMENAGEM

VÍDEO E FOTOS: Familiares e amigos celebram o centenário do cajazeirense, José Rolim Guimarães

CULTURA

Professoras da UFCG de Cajazeiras lançam livro sobre ‘Ética, Bioética e Controle Social da Ciência’

RELIGIÃO

VÍDEO: Festa de Nossa Senhora da Guia, padroeira de Patos é oficialmente lançada. Confira a programação!

SOLUÇÃO

VÍDEO: Continuando série sobre o lixão, Xeque Mate fala de ações para resolver problemática do lixão

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br