header top bar

José Antonio

section content

Há 39 anos nascia em Cajazeiras a Univ. Federal da PB

03/08/2018 às 09h19

O dia 1º de agosto deveria constar no calendário das efemérides de Cajazeiras, tal a sua importância educacional, econômica e social. Renascia na pessoa do Padre Luís Gualberto de Andrade, um novo Padre Rolim. A semente plantada em 1969, hoje ela se multiplica e faz com que Cajazeiras, que foi pioneira, se transformasse num grandioso pólo educacional. Sinto orgulho de ter participado da construção deste audacioso projeto educacional, que a partir da FAFIC, depois UFPB para em seguida ser UFCG, continue sendo este farol que ilumina os caminhos dos sertões nordestinos através da educação, sem esquecermos-nos de duas figuras exponenciais deste projeto: Dom Zacarias Rolim de Moura e o reitor Linaldo Cavalcante de Albuquerque.

Quais os argumentos e justificativas que teríamos para afirmar que Cajazeiras é um Polo Educacional e ainda justificar esta aureola que foi criada em torno da famosa frase de Alcides Carneiro, cantada por todos, que “Cajazeiras é a cidade que ensinou a Paraíba a ler”?

No passado, o inspirador desta obra educacional, foi o Padre Rolim, que com sua escola, através de seus alunos, que se tornaram figuras internacionais, iniciaríamos a construção deste cenário.

Com a presença de famosas instituições educacionais, a exemplo dos padres salesianos e das Irmãs Dorotéias, a cidade deu prosseguimento à obra do padre Rolim, quando em seus colégios recebiam alunos de várias cidades do Nordeste.

Mas a cidade tomou um impulso magistral, a partir do ano de 1970, quando o “Profeta” (era assim que Dom Hélder Câmera o chamava) Dom Zacarias Rolim de Moura, criou e instalou a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras e a entregou para dirigir um homem santo e também muito corajoso, Monsenhor Luis Gualberto de Andrade, sacerdote que podemos colocá-lo na nossa história como “o novo Padre Rolim de Cajazeiras”.

Somente quem acompanhou de perto o surgimento desta instituição de Ensino Superior pode constatar quão grandiosa foi a luta e maior ainda os esforços para a sua manutenção.

Mas em 1979, novamente Dom Zacarias e Padre Gualberto, comungando com o mesmo pensamento de que esta região ganharia muito mais se para aqui viesse um Campus da Universidade Federal da Paraíba, no dia 1º de agosto, todos os bens que pertenciam a FAFIC, no que se relacionava ao ensino, foi “encampado” pela UFPB, tendo a frente o Reitor de então Linaldo Cavalcanti de Albuquerque e os alunos a partir daquele histórico dia, deixavam de pagar suas mensalidades e passavam a ter ensino gratuito. Foi uma grande conquista.

Nas duas últimas décadas novas instituições de ensino superior, de ensino fundamental e médio foram criadas e daquela escola do Padre Rolim, de uma única sala e com poucos alunos, hoje são 79 que abrigam 27.754.

Mas o que impressiona são os números atuais: o município tem matriculado 27.754 alunos e se consagra como uma cidade universitária ao ter em suas cinco instituições 7.977 alunos na graduação e 1.145 nos cursos de pós-graduação (mestrado e especialização).

Qual a importância que têm estes números para o município? O que eles representam para a nossa economia? O que eles significam para implementar a melhoria de vida de nosso povo?

Estas questões só podem ser respondidas com precisão com a realização de uma pesquisa, junto a comunidade acadêmica, para podermos quantificar, por exemplo: quantos alunos são de outras cidades e que passaram a residir em Cajazeiras durante os períodos letivos; quantos passaram a residir definitivamente na cidade; quantos vêm apenas assistir as aulas e retornam para as suas cidades, qual o investimento mensal de cada um, além de outras dezenas de questões.

Com estas informações coletadas poderíamos avaliar o quanto pesa na nossa economia a presença de milhares de universitários que estudam nas instituições de ensino superior em Cajazeiras.

As palavras de José Américo traduzem muito bem a importância que teve o padre Rolim ao criar uma escola e em torno ser edificada uma cidade: “Padre Rolim não é um monumento, mas uma eternidade”. Eterna seja a nossa cidade!

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br

LAMENTÁVEL

LAMENTÁVEL: vigilante morre assassinado a tiros ao reagir a assalto em posto de combustíveis em Sousa

ELEIÇÃO DA FEDERAÇÃO

VIXE: Para Aldeone, falta de apoio a Arlan Rodrigues na FPF foi covardia e Cajazeiras está “ensinando a Paraíba a trair”

CRÍTICA E CONSELHO

Jornalista diz que rádio de Cajazeiras está ultrapassado e precisa repensar conteúdo para não ‘morrer’

TOTALMENTE RENOVADO

VÍDEO: Com mais elegância e tecnologia, novo carro da Wolkswagen é lançado com festa em Cajazeiras

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br