header top bar

section content

Eleições 2020: candidatos agora só podem ser presos em flagrante

A regra para ambos os casos vale até 48 horas antes depois do término do primeiro turno.

Por Agência Brasil

31/10/2020 às 12h02

Os eleitores que não votaram no primeiro turno podem votar neste domingo (29). No entanto, o título precisa está regular

A partir deste sábado (31), nenhum candidato às eleições 2020 pode ser preso ou detido, a não ser em casos de flagrante.

Segundo o Código Eleitoral, a imunidade para os concorrentes começa a valer 15 dias antes da eleição. Já eleitores não poderão ser presos cinco dias antes das eleições, ou seja, a partir do dia 10, exceto em flagrante delito; em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável; e por desrespeito a salvo-conduto.

A regra para ambos os casos vale até 48 horas antes depois do término do primeiro turno.

Ainda pelo calendário eleitoral, hoje também é o último dia para a requisição de funcionários e instalações destinadas aos serviços de transporte de eleitores no primeiro e eventual segundo turnos de votação.

Este ano por causa da pandemia do novo coronavírus uma emenda constitucional, aprovada pelo Congresso Nacional, adiou as eleições de outubro para 15 e 29 de novembro, o primeiro e o segundo turno, respectivamente.

OPINIÃO

VÍDEO: Jornalista fala sobre a vacina do Coronavac e destaca a importância do Instituto Butantan

CUIDADO

VÍDEO: Durante novenário, em Ipaumirim, Padre pede que fiéis fiquem atentos a pandemia do coronavírus

NOVA ONDA

VÍDEO: Senador Ney Suassuna acredita que deve haver lockdown com segunda onda de Covid-19 no Brasil

INADMISSÍVEL

VÍDEO: Nilvan Ferreira diz que foi vítima de racismo e chamado de ‘macaco’ na eleição em João Pessoa

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!